Rede social que prometeu “matar o Facebook” consegue aporte de US$ 11 mi

Avatar

Por Júlia Miozzo

10 de abril de 2015 às 16:31 - Atualizado há 5 anos

Logo ReStartSe

GRATUITO, 100% ONLINE E AO VIVO

Inscreva-se para o Maior Programa de Capacitação GRATUITO para empresários, gestores, empreendedores e profissionais que desejam reduzir os impactos da Crise em 2020

SÃO PAULO – Provando o contrário do que muitos sites acreditam, a rede social anti-comercial Ello conseguiu levantar um aporte de US$ 5 milhões. Com isso, a startup já totaliza US$ 11 milhões levantados – mesmo sem saber como ela pode ganhar dinheiro.

A rede não tem qualquer publicidade no site e nem vende os dados de seus usuários, a forma de monetizar uma rede social utilizada pelo Facebook. A empresa ainda possui apenas 26 funcionários e está em sua versão beta, sem divulgar o número exato de seus usuários. “Eu posso lhe dizer que estamos na casa dos milhões agora, sendo que 80% do crescimento da nossa comunidade é de convites de quem já está no Ello”, disse Paul Budnitz, fundador da rede social.

Desde quando a rede foi lançada, ela foi comparada com o Facebook, algo que não é tão agradável que parece para Budnitz. “Francamente, nós não damos a menor importância para as expectativas externas, porque elas são baseadas em comparações a um modelo que nós achamos negativo, manipulativo e falido”, disse em entrevista ao Mashable. “O novo investimento nos dá tempo para crescer no nosso ritmo, contratar as melhores pessoas e manter o Ello livre, positivo e bonito enquanto cresce”.

Tanto o fundador quanto outros funcionários já criticaram abertamente a política do Facebook de coletar os dados de usuários para marketing, embora não se considerem “anti-Facebook”. Em outubro de 2014, o Ello conquistou um aporte de US$ 5 milhões voltado para sua expansão.