Quero Educação lança plataforma de bolsas para cursos de inglês

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

17 de janeiro de 2019 às 15:02 - Atualizado há 2 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 22 a 25/Fev - 2021, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Cyber Monday 2020

Só hoje, nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

Em 2018, a Quero Educação matriculou mais de 160 mil alunos no ensino superior privado. A startup brasileira de educação agora inicia 2019 com uma nova oferta de bolsas: a de curso de idiomas.

Criada em 2010, a edtech, como são chamadas as startups de tecnologia para educação, surgiu com o “Quero Bolsa” como seu principal produto. O Quero Bolsa resgata vagas ociosas em universidades e faculdades e as disponibiliza por um preço mais acessível.

Em dezembro, a Quero Educação nos contou que está investindo em novas verticais. A primeira é a de curso de idiomas – e ela começa essa iniciativa oferecendo cursos de inglês. Em breve, a startup deseja oferecer também bolsas de cursinhos pré-vestibulares.

Como funciona?

Ao ingressar na plataforma de bolsas, o aluno coloca a localização desejada do curso, sua idade e nível do idioma (do básico ao avançado). A partir de então, ele pode escolher uma entre as diversas opções.

Com o curso escolhido, o usuário solicita a reserva da bolsa e recebe uma fatura com a pré-matrícula por e-mail. Ao efetuar o pagamento, a bolsa passa a ser do aluno.

Atualmente, a startup oferece bolsas de até 66%, com opções que iniciam no valor de R$ 100 ao mês. A Company Idiomas, The Kings English, Microcamp, Get It Academy são algumas das escolas parceiras.

“Tivemos um grande desafio para crescer no ensino superior, mas agora temos um modelo replicável que tem dado muito certo e podemos entrar em novas verticais, entender como funciona e continuar crescendo agressivamente”, comentou Marco Piacentini, gerente de Novas Verticais da edtech, em entrevista à StartSe. A Quero Educação cresceu em 63% o número de alunos matriculados no ano passado em comparação a 2017.

Especial StartSe Edtechs