Projeto de alunos de Harvard vira startup e agora vale mais de US$ 1 bilhão

Entre os investidores da rodada estão o Google Capital, Microsoft e Qualcomm Venture

Avatar

Por Júlia Miozzo

22 de setembro de 2015 às 15:19 - Atualizado há 4 anos

SÃO PAULO – O que inicialmente era um projeto de aula de dois estudantes de Harvard acabou se tornando, em pouco tempo, uma startup reconhecida por grandes investidores – como Microsoft e Google.

Chamada CloudFlare, a empresa de performance e segurança na internet já levantou US$ 110 milhões em uma rodada que conta com as grandes empresas como investidoras, apenas seis anos depois de ser projetada. E hoje ela já lida com 5% de todo o tráfego da internet.

Como conta o Business Insider, a startup agora é uma das que crescem mais rápido no mundo, com um valor aproximado de US$ 1 bilhão – o que garante que ela tenha o status de “unicórnio”.

Ela funciona como um “segurança digital” que filtra todo o tráfego da internet antes dele alcançar os sites de seu consumidor. Ela pode limpar todo o tráfego, identificar o que é bom e o que é ruim e acelera-lo para uma rota mais eficiente.

O que têm chamado a atenção dos investidores é que o serviço é tão variado quanto o roteamento e comutação que ajuda os computadores a conectarem-se à internet, carregar o balanceamento e desempenhar a aceleração que garante que os servidores não serão sobrecarregados. Além disso, o serviço não custa tanto quanto o de algumas empresas já conhecidas.

“Acima de tudo, ela te protege dos ataques da internet”, comentou o cofundador Matthew Prince. Ele também conta que 5% de toda a internet solicita participar da rede da CloudFlare, com mais de 4 milhões de pessoas em 30 países utilizando o serviço. Ao final deste ano, a startup deve lucrar US$ 100 milhões.