Plataforma permite vender celular usado e doar dinheiro para ONG

Startup quer inovar no desenvolvimento sustentável e ainda ajudar outras pessoas

Avatar

Por Juliana Américo

27 de agosto de 2015 às 17:32 - Atualizado há 4 anos

SÃO PAULO – Muitas pessoas que querem trocar de celular ficam em dúvida o que fazer com o antigo, já que na maioria das vezes ainda funciona bem, mas acaba parado em uma gaveta sem uso quando adquire um novo.

Apenas 2% dos brasileiros encaminham os seus celulares para a reciclagem, enquanto 32% deixam os aparelhos usados abandonados na gaveta em casa, embora a maioria deles ainda funcione.

Pensando nisso, foi criada a Recomércio, uma startup que desejam inovar no desenvolvimento sustentável, está lançando um novo serviço de reciclagem online com a página redial.net.br.

O site permite que os usuários vendam o seu antigo celular ou ainda possam ajudar uma das ONGs parceiras com o valor de venda do celular. Ao todo, são três ONGs envolvidas na economia social, ecologia e humanitária: Casa da Criança Santo Amaro, Instituto Fazendo História e Instituto 5 elementos.

Para vender o aparelho, basta entrar no site para descobrir o valor do seu celular, preencher o formulário e preparar o envio. A Redial em seguida, fornece um e-ticket grátis do Correios para o frete até o ateliê de análise. Depois disso, o usuário escolhe se quer receber o dinheiro ou doar o valor para uma das ONGs parceiras.

Os telefones coletados são triados, testados e reaproveitados no Brasil com a plataforma técnica de teste da Redial e especialmente adaptada para a Coopermiti, uma cooperativa de inclusão social que recolhe apenas eletroeletrônicos.

“Vender o seu antigo celular é uma forma de revalorizá-lo, pois ele terá sua vida útil ampliada. Muitos equipamentos, que funcionam perfeitamente, caem em desuso e ficam esquecidos nas residências de seus donos. Resgatar a utilização desses aparelhos, através do mercado de semi-novos, é uma forma de valorizar o investimento que foi feito no dispositivo e ainda de fazer parte de uma rede que estimula práticas de consumo mais sustentáveis”, afirma Amaury Bertaud, diretor da Recomércio.