O Netflix é o futuro da televisão, apontam analistas

A conclusão dos analistas é que, conforme a expansão do Netflix aumenta, vantagem de dados que têm sobre os concorrentes da TV vai continuar aumentando

Avatar

Por Júlia Miozzo

25 de fevereiro de 2016 às 09:41 - Atualizado há 4 anos

A briga entre o Netflix e as grandes empresas de TV a cabo não é nova: a startup é vista como um serviço “pirataria”, principalmente por ainda não ter uma regulamentação no Brasil.

A opiniões de analistas, entretanto, não é de que o Netflix é um serviço ilegal, mas sim o modelo televisivo do futuro. Segundo analistas da Pacific Crest Securities disseram ao Business Insider, a chave é a expansão global do Netflix, que explodiu em janeiro, quando 130 novos países passaram a ter acesso aos serviços da empresa.

“A economia do Netflix é global”, escreveu um dos analistas. “Investidores e concorrentes devem pensar dessa maneira”. Isso porque as recentes estratégias da empresa têm sido direcionadas para o licenciamento global da maioria de suas séries originais.

Por exemplo, o diretor de conteúdo da empresa, Ted Sarandos afirmou que somente neste ano cerca de 600 horas de conteúdo original devem ser lançadas, o que inclui mais de 30 novas séries.

Menores custos
Quanto maior a quantidade de países em que o conteúdo exclusivo do Netflix estiver disponível, isso vai fazer com que a empresa diminua o preço que cada assinante paga pelo mesmo.

“Para a grande maioria dos mercados da empresa, os únicos custos relacionados a local são publicidade, os custos para produzir legendas e dublagem e, por fim, custos da entrega de conteúdo”, escreveram os analistas. Uma vez que novas séries forem compradas, como House of Cards, não custa muito exibi-la em novas localidades.

E por que esse é o futuro da TV?
As redes de televisão tradicionais não possuem as mesmas vantagens do Netflix, pois normalmente possuem estratégias de monetização diferentes, diferentes marcas, geografias, etc.

A descentralização que o Netflix cria é feita com muitas ineficiências, principalmente a coleção de dados da empresa – o que, segundo o Netflix, é o que os faz tomar muitas das suas decisões de conteúdo.

A conclusão dos analistas é que, conforme a expansão do Netflix aumenta, vantagem de dados que têm sobre os concorrentes da TV vai continuar aumentando. A expectativa é de um futuro com infinitos dados, que vão fazer com que o Netflix se torne uma máquina de conteúdo “extremamente eficiente”.

Assista também: