O melhor livro de negócios que Bill Gates já leu

Avatar

Por Luiza Belloni Veronesi

4 de dezembro de 2014 às 09:42 - Atualizado há 6 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Cyber Monday 2020

Só hoje, nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

SÃO PAULO – Em seu blog Gates Notes, Bill Gates compartilhou o seu livro de negócios favorito. No entanto, a indicação de leitura para aqueles que querem seguir os passos do homem mais rico do mundo não foi a única parte que chamou atenção do relato. O livro chegou até Gates por nada menos que o megainvestidor Warren Buffett, em 1991, logo depois de se conhecerem.

“Logo depois de me encontrar pela primeira vez com Warren Buffett em 1991, perguntei a ele qual o melhor livro de negócios que ele me recomendaria. Ele não hesitou: ‘é um chamado ‘Business Adventures’, de John Brooks. Lhe enviarei um exemplar’. Fiquei intrigado: nunca tinha ouvido falar deste livro, muito menos de John Brooks”, escreveu Gates. 

Duas décadas depois de ser presenteado por Buffett, e 40 anos após da publicação do livro, Gates compartilhou seu parecer: “‘Business Adventures’ é o melhor livro de negócios que eu já li. E John Brooks continua sendo meu autor preferido. (E Warren, se você estiver lendo isso, eu ainda tenho seu exemplar).”

Apesar do livro ser, em sua primeira versão, uma coletânea de artigos publicados na The New Yorker, a partir da década de 60, Gates diz que ele continua atual. Afinal, muita coisa mudou no mundo dos negócios, mas não a “natureza humana” de quem os faz. 

“Diferente da maioria dos escritores atuais, Brooks não lista lições e explicações simplistas para o sucesso. Você não vai encontrar artigos com listas em seu trabalho. Brooks escrevia artigos longos, enquadrava problemas, explorava-os a fundo, introduzia personagens relevantes e mostrava o que se passava com eles.”

No artigo, ele cita uma das histórias mais inspiradoras de Brooks. “‘Xerox Xerox Xerox Xerox’ deveria ser estudado por todos que trabalham na indústria da tecnologia. A empresa, que iniciou suas atividades na década de 70, investiu em pesquisas e desenvolvimento, não apenas em sua área de atuação. Mas, como os executivos da empresa achavam que isso não tinha a ver com seu negócio, eles não transformaram os estudos em produtos. Eu certamente evitei esse tipo dee comportamento na Microsoft. Mantive a filosofia de pensar grande sobre as oportunidades criadas por nossas áreas de pesquisas.”

O livro “Business Adventures” foi republicado neste ano e pode ser encontrado também nas livrarias no Brasil em inglês.