O Brasil está "tranquilo e favorável" para criação de Fintechs, diz empreendedor

No evento Bootcamp Fintech, a tecnologia para criar novos modelos de negócios é exemplificada por quem teve sucesso

Avatar

Por Paula Zogbi

16 de março de 2016 às 13:12 - Atualizado há 4 anos

Está cada vez mais clara a tendência de unir tecnologia e dinheiro para criar serviços focados no cliente, e o Brasil navega em águas favoráveis a esta corrente. Pelo menos é o que acreditam os empreendedores que participam, nesta semana, da Startup Weekend, que terá temática voltada justamente às Fintechs.

A abertura do evento, que contou com a participação tanto de CEOs de pequenas empresas como de representantes já consolidados da área financeira – como a BM&FBovespa e a XP Investimentos – teve clima otimista. Chamado de Bootcamp Fintech, o evento que antecedeu o final de semana ocorreu nesta terça-feira, 15 de março, em São Paulo.

Para Bruno Diniz, da Next Bank, que falou na apresentação do evento, “existe uma revolução dos Millenials [nesse sentido], que foi possibilitada pelo não-apego às marcas”. De acordo com ele, pesquisas feitas nos Estados Unidos mostram 4 grandes bancos entre as 10 marcas mais odiadas pelos jovens, e isso é sintomático, justamente porque o atendimento das startups financeiras melhora todo este relacionamento com o cliente. “E é daí que vemos tanto empresas de tecnologia quanto os maiores bancos adquirindo fatias nessas fintechs”.

O movimento não é exclusivo dos países desenvolvidos. No Brasil, empresas como a SmartBot e a Vérios participam da movimentação por um mercado financeiro mais tecnológico: e elas são apenas o começo.

“Quando começamos neste mercado, ele era bem diferente do que é hoje”, relembra Felipe Sotto-Maior, CEO da Vérios, que apresenta soluções robotizadas para pessoa física, buscando facilitar as operações e prestar assessoria financeira. “Lá fora, já é muito comum ter consultores financeiros. Por aqui, isso ainda é exclusivo de milionários. Queremos deixar os investimentos mais acessíveis”, comenta. Pouco a pouco, acredita, esse mercado vai se tornando mais atrativo para as pessoas e para investidores.

Também dentro do espectro dos robôs investidores, mas voltada a traders com maior experiência de mercado, a SmarttBot também se apresentou no evento. Matheus Lana, CEO da companhia, concorda que o caminho é quase natural. “Entramos [nesse mercado] quando era novidade, mas neste momento, ‘tá tranquilo, tá favorável’ para quem quer investir em fintech”, brinca, completando que há mais vontade de investir do que nunca e que a geração Y tem grande propensão a abarcar novas ideias neste sentido.

O Startup Weekend ocorre a partir desta sexta-feira, 18 de março, até o domingo, 20, com participação de empreendedores, mentores e interessados em construir suas próprias soluções tecnológicas para o universo financeiro.