‘Netflix’ brasileira, Looke permite programação off-line e tem catálogo que a original não cobre

Avatar

Por Paula Zogbi

29 de fevereiro de 2016 às 10:10 - Atualizado há 5 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Black Friday 2020

Nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

Os serviços de streaming têm popularidade inegável. De acordo com uma pesquisa da Nielsen o acesso a TV tradicional está caindo aproximadamente 16% entre os jovens de 18 a 24 anos e o serviço de video on demand está crescendo 40% nos Estados Unidos – sendo que 36,7% dessas pessoas já usam mais de um serviço de streaming ao mesmo tempo.

Com a proposta de ser mais um canal complementar aos usuários dessa tecnologia, um grupo de brasileiros criou o Looke – uma plataforma de programação sob demanda que oferece tanto acesso por assinatura, como o da Netflix, quanto aluguel e compra de títulos separadamente, em uma opção semelhante ao Net Now.

“Lançamos em setembro a plataforma como serviço independente, e já temos 10 mil horas de conteúdo”, conta Luiz Guimarães, Diretor de Business Affairs da Looke. “Foram dois anos de desenvolvimento para oferecer uma plataforma atrativa aos consumidores, que possuem diversas opções no mercado”.

Para o diretor, não se trata de uma guerra que destruirá a televisão, mas sim uma soma. “Os conteúdos são completamente diferentes. A televisão tem, por exemplo, a vantagem de produzir conteúdos no dia para serem exibidos no mesmo dia”, pondera. “O que muda é que todos os serviços precisam tornar-se mais atrativos aos usuários, que agora têm diversas opções para recorrer”.

A adesão ao Looke, segundo ele, foi “impressionante”. “Tudo o que fizemos até agora foi em mídia espontânea, e só a partir de agora começaremos a investir mesmo em divulgação, através de capital de fundos investidores interessados”, explica.

Com a proposta de reunir o “máximo de conteúdo possível”, a plataforma possui uma vasta gama de títulos nacionais e provavelmente a maior variedade disponível atualmente de curtas metragens, comenta Luiz. “Esse é o ponto principal que nos diferencia da Netflix, por exemplo”, explica ele, que garante estar sempre aberto a receber novidades para o catálogo. Mas não é o único.

“Vejo a oferta de conteúdo como uma pirâmide. No topo dela estão os lançamentos, o que acabou de sair nos cinemas. Depois, vem um catálogo premium, com títulos muito buscados, e por último o catálogo em geral; nossa proposta é trabalhar na ponta e na base, como um framework de conteúdo”, destaca.

Através de uma mesma interface, além do plano de assinatura, o usuário poderá realizar o aluguel ou a compra de conteúdos que foram lançados recentemente no cinema – até 45 dias depois. Com tarifas que a plataforma garante serem menores do que as dos principais concorrentes, filmes e séries estreados há pouco tempo podem ser vistos com pagamentos entre R$ 2,90 a R$9,90 para locação e R$ 12,90 a R$ 45,90 reais para compra – em esquema semelhante ao das lojas como Play Store e iTunes.

A assinatura, de R$ 18,90 mensais, permite acesso ao catálogo da “base” em até 3 telas – alguns títulos, devidamente sinalizados, só poderão ser acessados por meio de compra ou aluguel. Atualmente, a plataforma está oferecendo a opção de teste grátis por um mês que, segundo Luiz, será atualizado para 15 dias.

O Looke tem parcerias com smarts TVs LG, Samsung e Philips, celulares e tablets iOS e Android, computadores, Xbox 360 e Xbox ONE e, de acordo com o executivo, já está em conversas para disponibilizar os conteúdos em todas as possíveis plataformas do mercado: “estamos nos preparando para entrar, via navegador Opera, em smart TVs da Philco, CCE e Semp Toshiba, além de Apple TV 2 e Playstation”, comenta.

Assista também: