Uber pode ter grandes problemas se novidade com bicicletas não der certo

Pesquisa mostra que corridas da Uber caíram 10% após integração com serviço de bicicletas Jump; em horário de pico, número é de 15%

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

20 de julho de 2018 às 19:41 - Atualizado há 2 anos

Nesta quinta-feira (19), o pesquisador da Uber Santoshi Rao publicou um artigo que mostra um dado alarmante: se a empresa não tiver sucesso no setor de compartilhamento de bicicletas, em que ela entrou recentemente com a compra da startup Jump, é capaz de que ela tenha grandes problemas.

A pesquisa mostrou que as corridas de Uber em São Francisco – uma das cidades que compõem o Vale do Silício – caíram em 10% desde que a empresa entrou no serviço de compartilhamento de bicicletas, em fevereiro deste ano. Durante os horários de maior trânsito, esse número aumentou ainda mais: as viagens em carros e SUVs caíram em 15%.

Após compartilhar a pesquisa no Twitter, o empreendedor Mike Dudas afirmou: “A análise mostra que o negócio core da Uber estaria em pedaços nas áreas urbanas mais densas devido às scooters, caso ela não fosse dona delas”. A Uber comprou a startup Jump e integrou o serviço da startup em seu próprio aplicativo em algumas cidades. No Brasil, ainda não há esta funcionalidade no aplicativo.

A pesquisa mostrou que o Uber precisa dominar também o setor de compartilhamento de bicicletas e scooters elétricas antes que as startups desses setores canibalizassem seu serviço de compartilhamento de carros.

A Uber pôde experimentar na pele ao ver as corridas de bicicleta Jump aumentarem enquanto as de carro diminuíam. No aplicativo, o número de corridas da Jump aumentou em 15% entre fevereiro e julho em São Francisco – os chamados “early adopters”.

“eBikes são mais populares com early adopters e algumas viagens da Uber, especialmente em períodos com trânsito, foram substituídas por viagens de Jump (serviço de bicicleta). Esse é um sinal promissor da habilidade das eBikes de aliviar o congestionamento nas cidades e reduzir as viagens de carros”, escreveu Santoshi Rao na pesquisa.

Nas ruas de São Francisco e outras cidades dos Estados Unidos, as bicicletas e scooters elétricas se tornaram uma tendência. Centenas de veículos desse tipo percorriam as cidades até que a prefeitura decidiu bani-las por um período. Agora, doze companhias – incluindo a Bird, Jump (da Uber) e Lyft (concorrente da startup no setor de carros) – emitiram permissões à prefeitura para operarem na cidade.

Com a Uber entrando na jogada através da Jump, a startup mostra que não ficará para trás na mobilidade urbana. Quer conhecer as principais novidades do setor? Participe do Mobility Day, um evento da StartSe em parceria com a Easy Muv que reunirá os maiores especialistas e inovações em mobilidade urbana! Confira aqui.

(Via Business Insider)

Baixe já o aplicativo da StartSe
App StorePlay Store