Com o Turo, pessoas estão alugando seus Teslas e ganhando dinheiro

Avatar

Por Isabella Câmara

18 de julho de 2018 às 17:22 - Atualizado há 2 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Black Friday 2020

Nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

Veronia Tran e seu namorado estavam em dúvida se compravam o Model 3 da Tesla – custando cerca de US$ 35 mil, o carro elétrico é o mais acessível da montadora. Apesar de ser um dos veículos mais procurados atualmente, o preço dele não é barato. Para compensar o investimento, o casal que mora em São Francisco, uma das cidades mais caras da América, decidiu alugar o carro para estranhos por meio do Turo. “Nós não estaríamos dirigindo o carro o tempo todo, então poderíamos colocá-lo no Turo. Foi isso que nos ajudou a decidir se comprávamos ou não o Tesla”, revela Tran.

O Turo é um serviço de compartilhamento de carros entre pessoas, ou seja, um Airbnb de carros. É simples: os proprietários dos carros listam seus veículos na plataforma e os alugam por dia – dependendo do quão novo é o modelo e marca do carro, os locadores podem cobrar entre US$ 29 e US$ 200 por dia. “Nós alugamos o Tesla no Turo para pagar a garagem, o empréstimo que fizemos para comprar o carro e o seguro. Isso cobre todo o custo”, disse Tran.

Segundo a empresa, no Turo, um anfitrião médio em São Francisco consegue arrecadar cerca de US$ 670 por mês. Apesar do valor já ser mais do que o suficiente para cobrir o pagamento de possíveis prestações de um veículo novo, alguns locatários conseguem arrecadar muito dinheiro com aluguel de carros. No passado, um membro do Turo recebeu US$ 40 mil alugando seu Model X 2016 da Tesla para estranhos.

Em uma pesquisa com seus usuários, a Turo perguntou aos seus membros o que ele faziam com o dinheiro que ganham alugando os carros. Mais da metade dos entrevistados, segundo a empresa, disseram que pagam seu empréstimo ou prestação de carros, enquanto cerca de um terço das pessoas adicionam o montante arrecadado a suas economias. Dado o alto custo de vida de São Francisco, um dos maiores mercados da Turo, não surpreende que os locadores da cidade se esforcem tanto para compensar o custo dos carros.

Michael Quinn, que trabalha na área de conteúdo da Lyric, comprou um Subaru Forester 2017 quando foi para Palo Alto, mas descobriu que estava usando o carro muito menos do que esperava. Ao invés de deixá-lo parado, Quinn decidiu começar a alugá-lo uma ou duas vezes por semana no Turo, o suficiente para cobrir todos os custos do SUV. “É como ter um carro grátis na cidade”, disse Quinn.

Oportunidade de negócio

Mas já há quem enxergue o serviço de forma ainda mais visionária – e Veronia Tran é uma dessas pessoas. Tran pertence ao grupo de usuários do Turo que afirmam usar seus ganhos no Turo para comprar um carro adicional que, futuramente, também será adicionado no serviço.

Entre os carros que mais oferecem retorno na Baía de São Francisco está o Model S da Tesla, seguido do Model X e da BMW Série 3. Além desses modelos, que já estão há um tempo significativo no mercado, o Model 3 da Tesla também aparece como um dos favoritos do local, segundo o Turo. “Eu tenho locatários que retiram meu Model 3 por uma hora, apenas porque eles querem testá-lo”, disse Tran, acrescentando que esses são seus inquilinos favoritos, porque eles gastam pouco tempo em seu carro. “A chance de ter um acidente é muito menor”, diz.

Mas com o Turo, os locadores estão protegidos de qualquer acidente ou problema. Assim como em aplicativos de transporte, como o Uber, por exemplo, os locadores têm a opção de cobrar uma taxa de limpeza do usuários, caso o locatário deteriore o veículo. Mas, para isso, o proprietário precisa fornecer fotos do veículo ao Turo tiradas antes e depois de cada aluguel.

Tran, como muitos proprietários, dá aos locatários a opção de pagar a mais pela entrega do carro, a qual ela cobra US$ 100. O Turo, apesar de não exigir que os anfitriões ofereçam a entrega (embora isso melhore suas chances de conseguir uma reserva) impõe que o locador esteja presente na hora da retirada do veículo. Mas isso é por pouco tempo – o Turo acaba de anunciar um recurso que permitirá que os locadores desbloqueiem seus veículos instantaneamente por meio do aplicativo, o que gerará maior conveniência tanto para os proprietários quanto para os locatários.

Mas mesmo com esse pequeno empecilho da entrega, Quinn, dono do Subaru Forester, disse que não consegue pensar em uma experiência ruim no Turo. “Eles realmente fornecem experiências positivas. Acho que o mais legal foi quando aluguei meu carro para uma família que precisava de um SUV maior para visitar sua família em Tahoe”, disse Quinn.”Eles ficaram muito agradecidos e cuidaram muito bem do carro. E foi emocionante ajudá-los a fazer essa viagem acontecer”.

O setor de mobilidade urbana está sofrendo uma enorme disrupção. E muitas vezes, justamente por ser tão disruptivo, fica difícil acompanhar todas as inovações e tecnologias que surgem na indústria de mobilidade. A fim de manter as pessoas conectadas com essas e outras inovações da área, a StartSe lançou o Mobility Day em parceria com a WeMuv. Saiba sobre o evento e garanta sua participação!

(Via: Business Insider)

Baixe já o aplicativo da StartSe
App StorePlay Store