Agora você pode alugar uma bicicleta em São Paulo e deixar em qualquer lugar

Avatar

Por Isabella Câmara

2 de agosto de 2018 às 18:17 - Atualizado há 2 anos

Logo ReStartSe

GRATUITO, 100% ONLINE E AO VIVO

Inscreva-se para o Maior Programa de Capacitação GRATUITO para empresários, gestores, empreendedores e profissionais que desejam reduzir os impactos da Crise em 2020

 A Yellow, a primeira empresa de bicicletas compartilhadas sem estações em atividade no Brasil, anunciou hoje (2) a liberação do serviço de compartilhamento de bicicletas para a população da cidade de São Paulo. Pioneira no Brasil em trabalhar com um sistema de bicicletas soltas com redistribuição livre e liberadas por aplicativo de celular, a Yellow disponibilizou cerca de 500 bicicletas em um projeto piloto, em parceria com a Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes da Prefeitura de São Paulo.

O piloto, que está atuando somente nas regiões da Faria Lima e Vila Olímpia, atenderá a uma população flutuante inicial de aproximadamente 1,5 milhão de pessoas – que se desloca diariamente por meio de diferentes tipos de transporte. De acordo com a empresa, o intuito do projeto é inserir a Yellow como uma opção para complementar deslocamentos diários e integrar diferentes modais, se tornando uma alternativa de transporte para as chamadas “primeira e última milha”.

Após a validação do projeto piloto, que observará o comportamento dos paulistanos em relação ao serviço, a Yellow expandirá sua frota para cerca de 20 mil bicicletas na capital paulista ainda em 2018 – e até 100 mil em 2019, incluindo regiões periféricas, outras cidades do país e novos tipos de veículos. Segundo a empresa, o custo acessível da Yellow – R$ 1 real a cada 15 minutos – será o fator que permitirá que a bicicleta possa ser considerada como uma solução efetiva de integração ao transporte cotidiano e de lazer na cidade.

Distribuição do serviço e impacto na cidade

As bicicletas da Yellow serão distribuídas no centro da capital e ficarão disponíveis para alugar em qualquer lugar da cidade, sem necessariamente estar presa a uma estação. Para utilizar o serviço da empresa, o usuário precisa apenas baixar o aplicativo da Yellow, encontrar uma bicicleta e colocar créditos de R$ 5, 10, 20 ou 40. Com o celular em mãos, o cliente precisa fazer a leitura do QR code na parte de trás da bike Yellow – o cadeado é inteligente e se abrirá automaticamente.

Após o uso, a pessoa poderá deixar a bicicleta em qualquer lugar que não atrapalhe a circulação e que seja visível para que outras pessoas possam encontrá-la. De acordo com a empresa, essa função só será possível graças ao sistema de rastreamento por GPS que será instalado nas bicicletas e, em breve, nos patinetes elétricos – o que também facilitará o trabalho dos ‘Guardiões Yellow’.

Os ‘Guardiões Yellow’ circularão todos os dias da semana para mapear bicicletas, organizá-las, redistribuí-las estrategicamente e retirá-las para a manutenção quando necessário – contribuindo, assim, para a melhor distribuição e posicionamento de bicicletas. Além disso, para garantir a melhor experiência do cidadão, preservar o ambiente, apoiar boas práticas do usuário e respeitar toda a sociedade, a Yellow iniciará a operação com iniciativas de manutenção, organização do espaço físico e incentivo ao uso responsável.

“O propósito da Yellow é o impacto positivo na cidade ao revolucionar a mobilidade urbana que conhecemos. Assim, chegamos a São Paulo de forma gradual e responsável, em conformidade com todas as legislações aplicáveis ao negócio, respeitando as normas do Inmetro e Anatel. Como pioneiros no serviço, na escala e no investimento, estamos liderando e financiando iniciativas necessárias para um ambiente seguro, claro e regulamentado para o cidadão”, diz Eduardo Musa, um dos fundadores da startup.

As bicicletas compartilhadas (e sem estações) são apenas a ponta do iceberg de uma enorme revolução que está acontecendo no setor de mobilidade urbana. Quer saber mais sobre o futuro do mercado no Brasil e no mundo? Participe do Mobility Day!