Mapiface usa reconhecimento facial para prevenir fraudes

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

2 de dezembro de 2019 às 17:55 - Atualizado há 7 meses

Logo ReStartSe

GRATUITO, 100% ONLINE E AO VIVO

Inscreva-se para o Maior Programa de Capacitação GRATUITO para empresários, gestores, empreendedores e profissionais que desejam reduzir os impactos da Crise em 2020

O reconhecimento facial é uma tecnologia frequentemente utilizada para identificar pessoas e realizar pagamentos. Enquanto na China é utilizada, por exemplo, no ingresso ao transporte público, no Brasil está sendo aplicada ao setor de segurança. A Mapiface, startup fundada por Fernando José dos Santos em Americana, São Paulo, traz novas possibilidades: o uso desta tecnologia para combater fraudes e auxiliar no marketing.

As câmeras de smartphones, computadores e outros dispositivos são utilizadas pela MapiFace para análises comportamentais, realizadas no próprio sistema. O objetivo é identificar fraudes virtuais em logins ou pagamentos. “Com a análise comportamental, detectamos as emoções dos usuários durante a navegação, tentando melhorar também o engajamento durante as operações virtuais”, conta Santos, também chefe de tecnologia da empresa, em entrevista à StartSe.

A mesma análise é utilizada no marketing para avaliar a reação dos clientes às propagandas e até a usabilidade de um site, por exemplo. A Mapiface é uma API (interface de programação), o que permite a utilização da solução sem a necessidade de download. Ainda em estágio inicial, a startup expôs sua solução no WebSummit 2019, em que participava da Missão de Internacionalização da Apex-Brasil.

Privacidade dos dados

A Lei Geral de Proteção de Dados, nova lei que irá regulamentar a privacidade do dados no Brasil, entrará em vigor em 2020. Quando questionado sobre a proteção dos dados, Santos afirmou que a Mapiface não armazena as imagens da câmera. “As imagens são mapeadas, mas não armazenadas, apenas a análise delas. O nosso banco de dados é criptografado”, conta.