Lyft deseja levantar US$ 2 bilhões em IPO

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

18 de março de 2019 às 17:16 - Atualizado há 2 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

A Lyft informou, nesta segunda-feira (18), que deseja levantar US$ 2 bilhões em sua oferta inicial de ações (IPO). A concorrente da Uber nos Estados Unidos disponibilizará ações com o preço entre US$ 62 e US$ 68.

Com a abertura de capital, a expectativa é que a Lyft atinja o valuation de US$ 21 bilhões a US$ 23 bilhões, segundo o The Wall Street Journal. Criada em 2012, a empresa conta com 30,7 milhões de passageiros e 1,9 milhão de motoristas.

Apesar desses números, a Lyft ainda não é uma empresa lucrativa – assim como a Uber. Segundo pesquisa da Raymond James, atualmente a Uber possui 60% do mercado dos Estados Unidos, contra 23% da Lyft.

No entanto, a Lyft é a marca mais querida pelos usuários. Na pesquisa, um terço dos 1.062 respondentes julgaram a Lyft como “mais amigável”. Além de concorrerem no modelo de negócios, as empresas agora estão concorrendo sobre quem faz o IPO primeiro.

A Lyft parece ser a companhia mais avançada nesse quesito – ela foi a primeira a registrar o pedido pelo IPO. No entanto, a Uber também já realizou o pedido e a expectativa é que a oferta concorrente seja realizada em abril.

Essa pode ser uma má notícia para a Lyft, caso investidores desejem aguardar pela oferta da líder do mercado. A expectativa é que, com o IPO, o valuation da Uber chegue a US$ 120 bilhões.

Ambas as empresas desejam abrir oportunidades para que os motoristas dos aplicativos possam comprar ações.