Lyft atinge US$ 24 bilhões em valor de mercado após IPO

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

29 de março de 2019 às 16:52 - Atualizado há 2 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

A Lyft estreou na bolsa de valores nesta sexta-feira (29). A startup de corridas por aplicativo escolheu a Nasdaq, de Nova York, e está listada como “LYFT”. Suas ações subiram cerca de 21% ao longo do dia, atingindo US$ 87,24 – o valor inicial mínimo previsto ontem era de US$ 70 por ação.

A companhia levantou US$ 2,34 bilhões, o que a fez alcançar o valor de mercado de US$ 24 bilhões, conforme previsto anteriormente. Há cerca de 10 dias, no entanto, a empresa esperava levantar menos capital – as ações estavam inicialmente cotadas de US$ 62 a US$ 68, depois foram aumentadas para US$ 70 a US$ 72 e terminaram ultrapassando a casa dos oitenta dólares.

A Lyft foi fundada em 2012 e hoje está presente nos Estados Unidos e Canadá. Apesar de estar concentrada apenas nos dois países, ela está presente em diversas cidades e representa uma forte ameaça a Uber, que atualmente lidera o mercado americano.

Apesar de contar com 30,7 milhões de passageiros e 1,9 milhão de motoristas, a Lyft ainda não é uma empresa lucrativa. No entanto, isso não impediu que o mercado investisse nela. O mesmo acontece com a Uber, que também planeja realizar seu IPO em breve – a bolsa de valores escolhida foi a NYSE.

No caso da Uber, a expectativa é de alcançar o valor de mercado de US$ 120 bilhões. A abertura ao mercado de capitais deve acontecer ainda no mês de abril.