Loom insere vídeos em chats empresariais e recebe aporte de US$ 11 milhões

João Ortega

Por João Ortega

19 de fevereiro de 2019 às 16:27 - Atualizado há 1 ano

Logo ReStartSe

GRATUITO, 100% ONLINE E AO VIVO

Inscreva-se para o Maior Programa de Capacitação GRATUITO para empresários, gestores, empreendedores e profissionais que desejam reduzir os impactos da Crise em 2020

O mercado de mensagens corporativas movimenta valores bilionários. A Slack se tornou o principal player no segmento, com uma avaliação de US$ 7 bilhões. Para não perder a liderança, os executivos entendem que não devem ficar restritos às mensagens de texto. Agora, a Slack está investindo na integração com o serviço da Loom, que permite enviar vídeos para melhorar a comunicação empresarial. A startup de conversas por vídeo no ambiente profissional recebeu US$ 11 milhões em rodada de investimentos anunciada nesta terça-feira (19), de acordo com a Techcrunch.

A ideia da Loom é tornar a comunicação mais clara através de vídeos. Isso não significa apenas enviar mensagens “conversando com a câmera”. A startup permite, de maneira prática, que os usuários compartilhem a tela do computador com sobreposição da voz – o que facilita na hora de demonstrar um processo ou explicar um problema. Outro diferencial está na velocidade de transmissão: enquanto a pessoa grava o vídeo, o upload já vai sendo realizado na plataforma. Assim, não se perde muita agilidade se comparado a mensagens de texto.

A startup já tem mais de um milhão de usuários, distribuídos em 18 mil empresas (como Uber, Dropbox e, principalmente, Hubspot). E isto com apenas uma extensão do Google Chrome, que pode ser integrada ao Slack e outros apps de mensagem. Nesta terça-feira, a Loom lança seus softwares para PC e Mac, além de um serviço Pro, com assinatura mensal. Aplicativos mobile ainda não foram divulgados.

Vídeo é o novo texto

Nos vídeos gravados através do Loom, já é possível adicionar comandos de ação, criar anotações em tempo real e desenhar na imagem. Funcionários em cargos de chefia têm acesso à página de análise dos vídeos, em que podem ver qual dos empregados realmente assistiu cada um deles até o fim, por exemplo.

O serviço, porém, não deve ficar restrito a conversas internas nas empresas. A Loom espera inserir o produto no atendimento ao consumidor, grupos de pesquisa e recrutamento. Outros planos para o futuro da startup envolvem reconhecimento de voz para criar legendas automáticas e criar parcerias com outras plataformas de mensagens b2b para inserir sua ferramenta de vídeo.

“Nós acreditamos que vídeos instantâneos compartilháveis podem promover uma comunicação mais autêntica entre colegas de trabalho, além de apresentar ideias e cenários complexos com empatia”, disse o cofundador Shahed Khan à Techcrunch. A startup foi fundada em 2016.