Lightricks, startup por trás do Facetune, recebe US$ 135 mi e se torna unicórnio

Isabella Carvalho

Por Isabella Carvalho

31 de julho de 2019 às 12:14 - Atualizado há 1 ano

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

A Lightricks, startup por trás de aplicativos como Facetune, anunciou nesta quarta-feira que recebeu US$ 135 milhões em uma rodada série C liderada pela Goldman Sachs, com participação da Insight Partners e ClalTech. Com o aporte, a startup se tornou unicórnio, atingindo o valor de mercado de US$ 1 bilhão. 

Criada por Zeev Farbman, Amit Goldstein, Nir Pochter, Yaron Inger e Itai Tsiddon, a Lightricks conquistou o primeiro lugar dos aplicativos mais populares da App Store com o Facetune, de edição de fotos. Criado há seis anos, ele oferece aos usuários recursos para remover manchas, suavizar pele, branquear dentes e outros ajustes. 

Além do Facetune, a startup também criou outros aplicativos como o Enlight Photofox, para colagens e efeitos especiais em imagens e o Swish, editor que ajuda as empresas a contar suas histórias com anúncios em vídeo. Todos os aplicativos estão disponíveis gratuitamente, mas também possuem planos de assinatura pagos que desbloqueiam algumas funções. A startup registra 3 milhões de assinantes pagantes e 180 milhões de downloads em todo o mundo.

Segundo Zeev Farbman, CEO e um dos fundadores da startup, o investimento será usado para acelerar o desenvolvimento de ferramentas aprimoradas por Inteligência Artificial e abrir um novo escritório na Alemanha. “Estamos empolgados para alcançar este marco, mas estamos apenas começando a nossa missão de criar ferramentas divertidas e poderosas que reinventam a forma como o conteúdo é criado em todo o mundo”, disse.