Grow levará bicicletas compartilhadas à periferia para continuar crescendo

João Ortega

Por João Ortega

8 de Maio de 2019 às 17:40 - Atualizado há 2 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 22 a 25/Fev - 2021, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Cyber Monday 2020

Só hoje, nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

Bicicletas compartilhadas estão transformando a maneira como as pessoas se locomovem nos grandes centros urbanos. Porém, o serviço de bikes dockless – que podem ser deixadas pelos usuários em qualquer lugar, sem estações pré-definidas – está restrito às principais áreas comerciais de capitais estaduais. Para mudar este cenário e alavancar o crescimento, a Grow vai levar suas bicicletas para a periferia.

O anúncio foi feito durante evento da empresa, que é a fusão entre a Yellow e a Grin, em São Paulo. Segundo pesquisa divulgada pela Grow na ocasião, 62% dos usuários não residem nas regiões onde o serviço está disponível. “Se quisermos continuar crescendo, precisamos ir além das áreas nobres das capitais”, disse Marcelo Loureiro, CEO da marca no Brasil, à Época Negócios.

A holding de mobilidade urbana vai inaugurar sua presença na periferia nos bairros do Capão Redondo e Jardim São Luís, na zona sul de São Paulo. As bicicletas poderão ser deixadas até o Terminal João Dias.

Para ampliar o acesso do público local ao serviço, a Grow aderiu a duas estratégias de mercado. A primeira é aceitar não apenas cartão de crédito, mas dinheiro. Esta forma de pagamento funcionará por meio de parcerias com lojistas da região, que venderão cartões pré-pagos que habilitam as bicicletas. A segunda é a diminuição do preço em áreas periféricas: será cobrado o valor de R$ 1 a cada 30 minutos de uso (em outras regiões, o preço padrão é de R$ 1 a cada 15 minutos).