Grin se retira de Santos, a primeira cidade a receber patinetes da Uber

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

21 de janeiro de 2020 às 12:24 - Atualizado há 8 meses

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

A Grin deixou de oferecer seus patinetes elétricos para aluguel em Santos, em São Paulo. A companhia — que hoje opera pela Grow, resultado de uma fusão com a Yellow — enviou um e-mail aos seus clientes da cidade avisando a mudança.

Os patinetes com o adesivo da Rappi (que antes eram da Yellow) continuarão operando normalmente na cidade. A diferença é que o aplicativo da Rappi aceita apenas cartões e não os créditos da carteira digital da Grin. Os usuários poderão usar os valores que foram carregados no aplicativo para pagar contas, fazer recarga no celular ou pedir reembolso.

Recentemente, a Uber escolheu Santos para ser a primeira cidade do Brasil a testar seus patinetes elétricos. A empresa começou a oferecer esse serviço nos Estados Unidos após a aquisição da Jump. O aluguel é realizado no próprio aplicativo da Uber por um preço competitivo: R$ 1,50 pelo desbloqueio e R$ 0,75 por minuto, em comparação aos R$ 3 de desbloqueio e R$ 0,50 minuto da Grin e Rappi.

A Uber deverá se tornar uma concorrente cada vez maior para a Grow — Grin e Yellow — à medida que expandir seu serviço de patinetes. A iniciativa faz parte do objetivo da Uber de se tornar uma plataforma multimodal de transporte. A companhia já começou a testar, no exterior, um plano de assinatura que integra carros, patinetes, bicicletas elétricas e delivery (com o Uber Eats).