GM e Ford podem demitir CEOs, enquanto Tesla pode valer tanto quanto Apple

Da Redação

Por Da Redação

10 de Maio de 2017 às 12:33 - Atualizado há 3 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Elon Musk tem um objetivo: fazer a Tesla ter um valor de mercado tão grande quanto o da Apple, empresa mais valiosa do mundo. E se depender do mercado acionário norte-americano, ele vai conseguir: os investidores estão se posicionando esperando uma forte alta das ações da montadora do Vale do Silício.

Isso contrasta com o momento vivido pelas outras montadoras norte-americanas: a GM, a Ford e a FCA (resultado da fusão entre Fiat e a Chrysler), que outrora eram chamados de “Big Three” de Detroit. Enquanto a FCA trabalha que nem louca para fundir com outra montadora (e “engana o mercado”), GM e Ford passam por uma crise sem precedentes, que pode fazer com que seus CEOs sejam demitidos.

Para o grande investidor da bolsa, o principal indicador de sucesso de uma companhia não é o quanto ela lucra ou quantos consumidores ela serve. É o preço da ação. E isso joga muito contra o atual momento de GM e Ford, que estão vendo sua ação ficar parada nos últimos anos e a Tesla disparar, atingindo níveis tão altos que chegou a passar as duas montadoras nas últimas semanas.

Para quem colocou grandes quantias de dinheiro nessas montadoras, isso é a morte. Mesmo com GM e Ford sendo extremamente lucrativas e venderem milhões de carros contra apenas dezenas de milhares da Tesla. A diferença é astronômica mesmo: 2,7 milhões de carros da GM por trimestre, 1,7 milhão da Ford e apenas 25 mil da Tesla.

E para completar, a GM tem o Bolt, um carro elétrico e com características autônomas e com preço de popular (nos Estados Unidos, claro). Muito parecido com o Model 3 da Tesla, que é tido como a revolução do mercado de automóveis. Mas embora as montadoras estejam jogando muito bem o jogo da Tesla, o mercado parece ignorar e colocar pressão na direção da companhia.

Copiar não basta

A pressão está tão grande que os CEOs estão próximos de demissão: Mark Fields, na Ford, e Mary Barra, na GM. Fields deverá ter uma sessão extra essa semana com os principais investidores da companhia para discutir estratégia com eles antes de liberar os resultados do último trimestre (que não possuem).

A estratégia é um ponto interessante, pois a Ford vem sendo uma das montadoras tradicionais mais engajadas em preparar-se para as mudanças que estão vindo. Fields já declarou mais de uma vez que não quer que a Ford seja uma montadora mais, e sim uma empresa de mobilidade. Ela está comprometida a ter um carro com nível 4 de autonomia até 2020 (um carro capaz de andar sozinho pelas cidades) e planeja ter uma frota transportando os usuários por demanda, como a Uber planeja.

Barra, na GM, tem os mesmos planos e vem fazendo movimentações agressivas no mercado de startups para garantir que a sua companhia esteja bem posicionada. A GM chegou a comprar uma startup por US$ 1 bilhão para ter acesso a tecnologias de autonomia para carros e abriu um escritório no Vale do Silício para pesquisa.

Ambas as direções entenderam que precisam lidar com a tecnologia e startups para sobreviverem aos próximos anos (uma coisa que ensinamos neste e-book gratuito). Mas, mesmo assim, estão vendo suas ações caírem e a pressão aumentar sobre seus diretores, mesmo com os lucros muito altos e encaminhando-se para aguentar as mudanças do mercado. Investidores parecem não estar interessados neste tipo de mudança, que consome bilhões de dólares das duas empresas antes de darem resultados concretos.

Investidores podem levar montadoras a morte

Possivelmente o que estes investidores estão fazendo é capaz de levar as duas empresas para um lugar não muito interessante: a morte. Combater a inovação é o principal jeito de fazer com que sua empresa tenha um final infeliz. Afinal, é ela que faz com que as empresas permaneçam relevantes.

Pode ser que nomes como GM e Ford se juntem ao trágico grupo de Blockbuster e Kodak. E a culpa disso não vai ser nem de Mary Barra e nem de Mark Fields. Vai ser do grupo de investidores que se rebelar contra a inovação dentro dessas duas empresas.

Essas duas empresas foram grandes nomes do mercado automobilístico desde que ele começou. O Ford T é o primeiro automóvel a ser popular. A fabricação em série é tão filha destas empresas que ganhou o nome de “Fordismo”. Mas este legado está ameaçado.

Tesla, a maior montadora do mundo

Enquanto Ford e GM se debatem com seus investidores míopes, a Tesla vem ganhando cada vez mais valor de mercado – mesmo vendendo uma fração dos carros e registrando perdas enormes. Quem investe nela sabe que está colocando dinheiro na potencial transformação do mercado e na arrojada liderança de Elon Musk.

A empresa quer se tornar um exemplo de automação. Enquanto montadoras tradicionais fazem suas fábricas longe dos consumidores para aproveitar o trabalho barato de países emergentes, a Tesla está montando as suas no coração do Vale do Silício e nos estados adjacentes nos Estados Unidos. Uma delas deverá reabrir até o fim de 2018 e fará 500.000 carros por ano praticamente sem ajuda humana.

Esse novo modelo de fabricação precisa ser adotado também pelas montadoras, que possuem dezenas de fábricas antigas ao redor do mundo para produzir estes milhões de carros. Transformar todas neste novo modelo vai demorar anos e gastar bilhões. Mais fácil fazer do zero. “Eu acho que isso vai muito difícil para as outras montadoras copiarem. Eu não saberia o que fazer se estivesse na posição delas”, afirma Musk.

Ele tem uma projeção ousada para a Tesla: crescer 50% em média de um ano para o outro ao longo dos próximos 10 anos. Isso seria o suficiente para levar a Tesla ao valor da Apple (que hoje vale US$ 700 bilhões), assim como passar todas as outras montadoras (hoje a Toyota vale US$ 165 bilhões, a Volkswagen vale US$ 75 bilhões).

Afinal, Musk é um rebelde com causa que está transformando o mundo através do empreendedorismo. A Tesla está transformando o mundo através da tecnologia e vai revolucionar ainda mais. Essa é a mentalidade do Vale do Silício, a região mais inovadora do planeta. Conheça-o através deste e-book gratuito.

Faça parte do maior conector do ecossistema de startups brasileiro! Não deixe de entrar no grupo de discussão do StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo! E se você tem interesse em anunciar aqui no StartSe, baixe nosso mídia kit.

[php snippet=5]