Fundo secreto de Zuckerberg investe para que uma startup entre no Brasil

Fundo investiu uma quantia não especificada em um unicórnio holandês: a Adyen, que tem um valuation de US$ 2,3 bilhões

Avatar

Por Da Redação

30 de setembro de 2015 às 11:15 - Atualizado há 4 anos

SÃO PAULO – O Iconiq Capital é um fundo de venture capital como outro qualquer. Exceto por ser comandado e controlado, secretamente por algumas das pessoas mais influentes do Vale do Silício: Mark Zuckerberg, Jack Dorsey, Sean Parker, Sheryl Sandberg, Reid Hoffman e Drew Houston e alguns outros bilionários.

O apelido do fundo? “Zuck & Friend’s”, ou seja, “Zuck e Amigos” em português. E agora ele investiu uma quantia não especificada em um unicórnio (startup de mais de US$ 1 bilhão de valor) holandês: a Adyen, que tem um valuation de US$ 2,3 bilhões e opera no meio de pagamento – com clientes como o AirBnB, Netflix, DropBox, Spotify e, claro, o próprio Facebook. Agora, o dinheiro levantado deverá ajudar a empresa entrar em novos mercados, entre eles, o Brasil. 

Ela processa US$ 35 bilhões em pagamentos e deve apresentar receitas de US$ 300 milhões este ano. A ideia da Adyen é pegar uma solução todos os pequenos pedaços do meio de pagamentos e permitir que a empresa processe pagamentos em qualquer lugar do mundo, seja por cartões de crédito, débito, Apple Pay ou Bitcoin.

A empresa admite que gostou do investimento da Iconiq para “criar conexões com alguns dos principais nomes no Vale”. “Quando a Iconiq quer investir em você, é difícil dizer não”, confessa Roeland Prins, CCO da empresa, ao Business Insider

Além do Brasil, a Adyen deverá procurar oportunidades na Austrália, onde já está abrindo seu escritório, Hong Kong e Singapura. Parece promissor.