Fundo de US$ 100 milhões quer transformar startups da Índia em unicórnios

Avatar

Por Lucas Bicudo

6 de julho de 2017 às 12:04 - Atualizado há 3 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

Dois veteranos de tecnologia indianos criaram um novo fundo que eles esperam que ajude o país a criar startups de classe mundial e bilhões de dólares.

Nandan Nilekani – co-fundador e ex-CEO da Infosys, avaliada em US$ 33 bilhões – e Sanjeev Aggarwal – VC da Helion Ventures, que agora fundou a empresa de BPO da IBM – se juntaram para lançar o Fundamentum Partnership. Inicialmente, o fundo será de US$ 100 milhões e irá ajudar a cobrir o fosso de financiamento para as empresas de tecnologia mais promissoras da Índia.

“Precisamos de empresas que sejam maratonistas e construídas para escalar e acelerar [por] empresários que desejam deixar um legado”, disse Nilekani, cuja fortuna pessoal é estimada em mais de US$ 1 bilhão.

Veja também: o StartSe montou o e-book: “Manual Básico para Captação de Investimentos”, para que você saiba o melhor momento de começar a buscar capital para a sua startup.

A Índia conta com pelo menos oito empresas de tecnologia com mais de oito bilhões de dólares entre suas avaliações, de acordo com dados do TechCrunch. São elas: os e-commerces Flipkart, Paytm, Snapdeal e Shopclues, a rival da Uber Ola e a empresa de aplicativos de bate-papo Hike. Os fundadores da Fundamentum Partnership acreditam que há muitos outros candidatos para se juntar a eles.

“O fundo é para empresas com grande potencial de escala. O desafio é como as empresas se tornam grandes e fazem coisas com rapidez, escala e flexibilidade”, acrescentou.

O Fundamentum Partnership está à procura de acordos de Série B e C, que irão flutuar entre US$ 10 milhões e US$ 25 milhões. Nilekani e Aggarwal sugeriram que serão feitos apenas dois ou três investimentos por ano, para escolher as startups “excepcionais”. Além disso, será oferecido o smart money.

“Nós vamos usar a tecnologia como o tema base e olhar para indústrias onde o consumo está ficando digital”, disse Aggarwal sobre o foco geral.

Por enquanto, eles estão juntando a equipe inicial do fundo e elaborando alvos de investimento. A expectativa é de que o primeiro negócio seja acordado em poucos meses. O fundo em si tem um mandato de 12 anos e ambos os parceiros esperam estar envolvidos por pelo menos uma década, porque “isso é o que é preciso para construir uma empresa de alta qualidade na Índia”.

(via TechCrunch)

Faça parte do maior conector do ecossistema de startups brasileiro! Não deixe de entrar no grupo de discussão do StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo! E se você tem interesse em anunciar aqui no StartSe, baixe nosso mídia kit.

[php snippet=5]