Fundador da Nexo Hw discute mudanças na sociedade devido à tecnologia

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

18 de abril de 2018 às 14:24 - Atualizado há 3 anos

Logo Black Friday 2020

Nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora

Andreas Auerbach é fundador do Nexo Hw, um movimento que surgiu na Box 1834 para jovens que são “Next” – ou seja, que impactam positivamente o ambiente ao seu redor. O empreendedor esteve na EdTech Conference que acontece hoje, discutindo sobre as inovações de tecnologia do país.

Auerbach discutiu como comportamentos do passado continuam presentes e influenciando os nossos comportamentos frente às novas tecnologias, e como agir diante das inovações que surgem e continuarão a surgir.

O fundador da Nexo Hw discutiu, inicialmente, como estamos organizados como sociedade. Para ele, existem alguns níveis de comportamento em que estamos organizados.

“Éramos seres humanos tribais, movidos pela guerra, até que as leis surgiram e colocou todo mundo funcionando em princípios parecidos. Nos tornamos dogmáticos, movidos por leis”, comentou. A sociedade passou a se organizar e até a se vestir de uma forma que os qualifique e identifique.

Continuamos a ser tribais regidos por leis, mas a inovação nos fez experimentar o pensamento de performance, incentivado pela produtividade das máquinas. “A aprendizagem nos deixará geniais em tirar o máximo de eficiência de cada recurso, seja de nossas terras, pessoas, espaços. O nosso mindset vai para um lugar de extrema produtividade, ainda no sistema piramidal mas de forma meritocrática”, comentou.

Segundo Andreas Auerbach, estamos na organização de significado relacional. “Valorizamos o propósito, colaboração, múltiplas inteligências, diversidade, stakeholders. Existem muitos movimentos globais presentes no Brasil, por exemplo, focado em entregar valor efetivo”, comentou.

A próxima camada que está próxima a chegar é a de complexidade, voltada para a exponencialidade e aceleração. A área será voltada para criação de novas áreas de conhecimento, integração e escala. “Temos dois desafios: como não nos tornarmos profissionais, educadores e empresas obsoletas? Como não nos tornarmos uma sociedade patológica?”, disse Auerbach.

É preciso saber lidar com as mudanças que surgirão: o empreendedor citou o dado de 2017 da Associação Brasileira do Sono que 73 milhões de brasileiros têm dificuldade de dormir. “Da mesma forma que temos um gap de aprendizagem, talvez estejamos desaprendendo coisas muito básicas, como dormir”.

O segredo para viver bem nesse período de inovação e aceleração prestes a chegar é focar no aprendizado do passado, sabendo utilizá-lo no presente. “Como é que juntamos a saúde na educação? De forma que nos tornamos mais permeáveis nos níveis – os jovens tem que ter a habilidade de integrar competências de níveis anteriores”, comentou.

Para viver em um mundo cada vez mais acelerado, é importante saber a hora exata de diminuir a velocidade e tomar fôlego para as novidades que estão surgindo, sendo capaz de levar uma vida saudável e de sucesso, realizando grandes feitos.

[php snippet=5]