Aplicativo europeu reúne dados sobre hábitos alimentares dos consumidores

Considerar todos os fatores biopsicossociais do ato de comer, pode ajudar a ter uma nova visão sobre a alimentação dos consumidores e desenvolver novos produtos

Avatar

Por FoodVentures

16 de agosto de 2018 às 11:24 - Atualizado há 2 anos

Quais vegetais os britânicos comem mais? Quando as meninas belgas comem iogurte? Os homens holandeses preferem sobremesa ou frutas? Um aplicativo que engloba informações sobre os hábitos de consumo alimentício em toda a Europa pode ajudar no desenvolvimento de novos produtos.

Desenvolvido pelos cientistas da Wageningen Economic Research, o aplicativo, chamado de FoodProfiler, tem como objetivo desenvolver um método confiável para coletar dados sobre padrões de consumo. Essas informações ajudariam os interessados no ramo de alimentos e bebidas a conhecerem melhor o que motiva as escolhas do consumidor, além das diferenças entre cada cultura e país.

Fonte: iStock

O time de pesquisadores, liderado por Maleen Onwezen, coletou dados como idade, gênero, localização e informações sobre a saúde – já tendo uma ideia sobre os mercados belga, alemão e britânico.

“Baseado em análises, vemos que na Holanda, por exemplo, homens comem mais sobremesa que mulheres, enquanto que mulheres holandesas comem mais frutas por dias do que os homens. Jovens e idosos parecem comer uma menor quantidade de vegetais se comparado com o grupo de outra idade. Entre as idades de 24 e 79 anos, temos visto uma tendência de aumento no consumo de vegetais; quanto mais velha a pessoa, mais vegetais comerá”, dizem os pesquisadores.

Segundo Onwezen, entender os hábitos de consumo e conhecer detalhadamente onde, como e com o quê outros produtos são consumidos, pode ser muito útil no desenvolvimento de novos produtos e estratégias. O aplicativo rastreia informações detalhadas sobre produtos frescos e processados, e está disponível para download gratuito através das appstores.

No entanto, o projeto ainda está em fase de pesquisa e será futuramente desenvolvido para ser parte do projeto holandês Market Intelligence Voedingstuinbouw 2.0 até 2020.

Veja texto original na página do Food Navigator.