Nubank reduz flutuação do dólar em compras internacionais no cartão de crédito

Fintech passará a considerar a cotação do dólar do dia anterior ao processamento da compra, não mais do fechamento da fatura

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

12 de setembro de 2018 às 16:20 - Atualizado há 1 ano

Uma das iniciativas que ainda aproximava o Nubank dos grandes bancos tradicionais acabou de cair: a flutuação do dólar no cartão de crédito. Nesta quarta-feira (12), a fintech anunciou que passará a congelar o valor do dólar com base no dia anterior da data de processamento da compra, não mais o valor da moeda na data do pagamento da fatura.

Agora, os clientes do Nubank sofrerão menos com a flutuação do dólar e terão uma ideia melhor de qual será o valor final cobrado na fatura. Antes – como na maioria das instituições financeiras -, o valor da compra variava de acordo com a flutuação do câmbio do dólar.

A cotação do dólar utilizada na fatura será a que estava em vigor na data de processamento do pagamento – o que pode acontecer, em geral, até 7 dias úteis depois da compra. No aplicativo, assim que realiza a transação, o cliente poderá ver uma projeção do valor final da compra em reais. Após o processamento, o Nubank irá “congelar” a cotação do dólar e considerar a do dia útil anterior.

CONHEÇA AS FINTECHS

A fintech irá atualizar o contrato de todos os clientes do cartão para adicionar a novidade, que estará disponível para as faturas fechadas a partir do dia 17 de outubro. Fora a mudança na flutuação do dólar, as compras internacionais continuarão com a taxa de 4% do Nubank para cobrir custos adicionais e o IOF de 6,38% sob o valor em reais.

O anúncio da novidade aconteceu um dia depois que a startup liberou seu relatório de desempenho do 1º semestre de 2018, no qual teve um prejuízo de R$ 50,9 milhões.