Fintech desafoga departamentos financeiros ao automatizar tesouraria online

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

4 de junho de 2018 às 18:08 - Atualizado há 2 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora

As fintechs – startups do mercado financeiro – não apenas concorrem com serviços bancários, mas desenvolvem soluções para departamentos financeiros e meios de pagamento. Esse é o caso do Fitbank, startup que atua como uma tesouraria online.

A startup foi criada em 2015 e lançou sua solução no ano seguinte, apostando na automação como um facilitador para departamentos financeiros de pequenas e médias empresas. A necessidade de criar a startup surgiu quando Otavio Farah, CEO da empresa, percebeu que a área de tesouraria e open bank carecia de tecnologia ou atuava em plataformas genéricas. “Grandes bancos e pessoas físicas utilizavam plataformas quase iguais e as empresas ficavam com as atividades comprometidas”, comentou.

Em sua solução, a startup reúne todos os meios de pagamento existentes no sistema bancário hoje e se integra via API no sistema de gestão utilizado pelas empresas. Dessa forma, toda a tesouraria de uma empresa pode ser realizada na plataforma, que automatiza as contas recorrentes. Como consequência, há a redução de trabalhos manuais – o que traz vulnerabilidade e risco de fraudes nos pagamentos -, e melhor aproveitamento de tempo dos colaboradores do departamento financeiro, que podem focar em trabalhos mais complicados.

“Em um condomínio, conseguimos fazer o sistema de locação integrado, unindo a cobrança do inquilino, pagamento do IPTU, condomínio e proprietário e da remuneração da administradora. Conseguimos amarrar todas as contas e pagamentos ligados ao mesmo aluguel”, afirma Farah. Como consequência, o proprietário passa a ter o conforto de conferir todos os pagamentos em um só local, economizando o próprio tempo e diminuindo a percentagem de erros.

No início, a fintech seria uma plataforma de pagamentos, mas a ideia foi pivotada. “Algo que percebemos ao longo do caminho é que a eliminação do processo manual é importante”, comenta CEO da startup. O empreendedor descreve que a startup foi criada com três pilares: flexibilidade, conectividade e rastreabilidade. “Flexibilidade para levarmos o mundo financeiro para dentro da empresa, conectividade porque somos uma plataforma de tecnologia e temos que nos integrar com sistemas e rastreável, pois 100% do dinheiro é conciliado o tempo todo”.

Como consequência, os departamentos financeiros hoje podem escolher os serviços que querem executar e os que podem deixar de fazer, confiando no sistema do Fitbank. “No momento que desenvolvemos o projeto de integração, sentamos com o cliente e desenhamos o que ele deixará de fazer ou não. Há um treinamento muito simples para mostrar como os processos ficam mais fáceis”, afirmou Otavio Farah.

Trajetória

O sistema do Fitbank começou a ser desenvolvido no final de 2016, após um investimento-anjo. Hoje, a startup possui cerca de 350 empresas trabalhando com sua solução. A plataforma ultrapassou o estágio de MVP e agora está na fase de ganhar tração.

O Fitbank é uma das startups que estará na Startup Village da Fintech Conference, o maior evento sobre fintechs da América Latina. O evento acontece nesta quarta-feira (06) – garanta a sua vaga!

Baixe já o aplicativo da StartSe no iOS ou no Android