Amazon poderá lançar conta corrente e se tornar uma fintech

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

5 de março de 2018 às 12:52 - Atualizado há 3 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Black Friday 2020

Nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

A Amazon surgiu no mercado como uma livraria. Depois, tornou-se uma varejista completa, vendendo no e-commerce produtos variados, de eletrônicos até fraldas. A empresa criou a própria marca de produtos e eletrônicos – e a conexão com a tecnologia é ainda mais intensa no serviço de nuvem Amazon Web Services.

A Amazon ultrapassou a barreira online e hoje está presente em lojas físicas através da aquisição da cadeia de alimentos saudáveis Whole Foods. A varejista criou até lojas físicas extremamente tecnológicas sem filas ou caixas para vender alimentos, o Amazon Go. Agora, a empresa está mirando mais um setor: o de finanças. A gigante varejista dos Estados Unidos pode se tornar uma fintech. As fintechs são as startups que estão revolucionando o mercado financeiro. Conheça algumas formas no nosso e-book gratuito.

A Amazon está conversando com bancos dos Estados Unidos para criar uma conta corrente para jovens que não possuem contas no banco ou cartões de crédito. O The Wall Street Journal revelou a novidade nesta segunda-feira, incluindo que entre os bancos que a Amazon conversou estão o JPMorgan e CapitalOne.

Até então, a atuação da Amazon no mercado financeiro é através do cartão de crédito de benefícios realizado através da Visa. Mas, ao que tudo indica, o mercado financeiro deverá se preparar para um novo player poderoso entrar no jogo. O potencial da Amazon no mercado financeiro é enorme pois a varejista poderá usar seu grande portfólio de produtos para trazer benefícios aos próprios possíveis correntistas.

Segundo o analista Daniel Ives da GBH Insights, a Amazon poderá ser a primeira empresa de tecnologia a atingir o valuation de US$ 1 trilhão, pois vem se destacando em todos os diversos setores em que atua.

[php snippet=5]