Emissoras tradicionais devem usar arma para prejudicar Netflix

Da Redação

Por Da Redação

23 de setembro de 2015 às 14:37 - Atualizado há 5 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 16 a 19/Nov, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora

SÃO PAULO – O Netflix é um fenômeno gigantesco em muitos aspectos. Todo dia, milhões de pessoas usam o serviço para assistir séries, filmes e desenhos nos mais diversos aparelhos, nas mais diversas ocasiões.

Sua existência e crescimento ameaça o modelo tradicional de televisão – tanto que seu CEO, Reed Hastings, já disse que acredita que de 10 a 20 anos, todo o conteúdo de vídeo estará na internet, como o Netflix. Temendo pelas suas existências, várias emissoras tradicionais já começam a levantar suas armas contra o Netflix, mostra o Business Insider

Um dos grandes atrativos do Netflix é a quantidade de séries antigas licenciadas das emissoras de televisão, como Lost, Breaking Bad, Mad Men, Walking Dead. Portanto, perder o licenciamento destas séries seria um golpe duro para o Netflix. E é justamente isso que se desenha. 

Algumas das emissoras que produzem essas séries já estão repensando suas relações com o Netflix e não renovando acordos, optando por outros serviços de streaming, como o Hulu, ou os distribuidores tradicionais, como as operadoras de televisão a cabo, que cada vez mais tem serviços de conteúdo sob-demanda.

A Fox é uma dessas que está pulando fora do barco do Netflix: ela agora vai usar o Hulu, competidor direto da Netflix e que é parcialmente do grupo da Fox. Como o Hulu permite que a Fox inclua propagandas, o acordo acaba sendo muito mais favorável para a emissora do que o antigo que ela tinha com o Netflix. 

A resposta? O Netflix deverá usar cada vez mais conteúdos exclusivos, como House of Cards ou Narcos – dos quais ele tem total controle de distribuição e não perderá eventualmente. Resta saber se isso vai ser o suficiente para manter o serviço atraente no longo prazo e não sofrer com a entrada de rivais que também fazem conteúdo exclusivo, como a Amazon.