Edtech de desenvolvimento para professores recebe aporte de R$ 1,6 milhão

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

12 de julho de 2018 às 18:48 - Atualizado há 2 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

A Kanttum, edtech que traz soluções tecnológicas para melhor desempenho e desenvolvimento de professores, recebeu o investimento de R$ 1,6 milhão de um fundo de venture capital gerido pela Cedro Capital e um investidor estratégico.

A startup foi criada em julho de 2014 trazendo um aplicativo para professores gravarem aulas e compartilharem com alunos. Depois, a edtech desenvolveu a plataforma Teach Growth, para instituições de ensino assistirem as aulas de seus professores e realizarem observações, mentoria e feedback, com objetivo de melhorar o desempenho de alunos e professores em sala de aula.

Com o aporte, a startup mineira deseja abrir um escritório em São Paulo para acomodar seu time de marketing e vendas. Além disso, pretende aumentar o número de colaboradores, expandindo os times de tecnologia e desenvolvimento e criando uma equipe de educadores.

“Os educadores serão responsáveis pela estruturação dos planos de formação docente, criação de rubricas, protocolos de habilidades e competência dos professores, coaching, mentoria e feedback. Queremos entregar uma solução completa para as escolas”, explica Pablo Sales, CEO e fundador da edtech.

O Colégio Pentágono de São Paulo foi o primeiro cliente da startup, ainda em 2015. No mesmo ano, a startup participou do programa de mentoria da Fundação Lemann em parceria com a Endeavor, o Start-ed. “Durante seis meses recebemos mentoria para aprender sobre formação de professores e mercado educacional”, contou o CEO.

Em 2016, a startup ampliou sua operação e conquistou clientes como o Grupo Amina, Eleva, Insper e Cultura Inglesa. Já no ano passado, fechou uma parceria com o Centro Lemann em Stanford para formação de professores de matemática. Já em 2019, a meta da Kanttum é dobrar o número de clientes.

“Nosso objetivo é atender aproximadamente 500 escolas e nos próximos anos formarmos cerca de 25 mil professores por meio de nossa plataforma”, estima Sales. A Kanttum é um exemplo de como as edtechs estão transformando a educação – conheça o impacto das edtechs no setor em nosso e-book gratuito.

Baixe já o aplicativo da StartSe
App StorePlay Store