Edtech Árvore Educação recebe R$ 2,5 milhões do fundo BR Startups

José Eduardo Costa

Por José Eduardo Costa

27 de setembro de 2019 às 10:46 - Atualizado há 1 ano

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

A Árvore Educação, startup especializada em conteúdo para atividades pedagógicas, foi selecionada pela MSW Capital para compor o portfólio do fundo BR Startups. A edtech receberá do fundo R$ 2,5 milhões.

O total captado poderá atingir R$5,5 milhões, uma vez que a empresa e a MSW seguem negociando com outros potenciais investidores. Os recursos serão destinados para o desenvolvimento de sistemas de gestão de dados, de gerenciamento de conteúdo e time comercial para acelerar a expansão da empresa.

A Árvore Educação é o resultado da recente fusão entre as startups Árvore de Livros e Guten. Criada em 2014 por João Leal, a Árvore de Livros é uma plataforma de leitura digital para alunos dos ensinos fundamental e médio, que disponibiliza mais de 30 mil títulos, entre livros, jornais e revistas do mundo todo. A solução atende atualmente 140 mil estudantes cadastrados e mantém parceria com 600 editoras do país.

Já a Guten, criada por Danielle Brants, também fundada em 2014, é especializada na produção de conteúdo semanal voltado para temas relacionados a atualidades e utilizados em atividades pedagógicas. O objetivo da ferramenta é desenvolver visão crítica, estimular o conhecimento e ampliar o repertório cultural dos alunos.

Inovação na sala de aula

Com foco em oferecer o que há de melhor em cada plataforma e com a proposta de levar inovação para sala de aula, a Árvore Educação buscará abranger ainda mais escolas. O objetivo é incentivar a leitura por meio de um acervo diversificado e de um ambiente atrativo para os jovens.

Para isso, os produtos dialogam com a proximidade cada vez maior dos alunos a dispositivos móveis, como celulares e tablets. Professores, por sua vez, poderão aprimorar as formas de ensino ao sugerir títulos, propor atividades e avaliar desempenho com base no acompanhamento dos hábitos de leitura dos alunos.

“O que nos motivou nesse processo de fusão é a complementaridade das duas plataformas. Os dados gerados pela plataforma permitem que os professores façam uma melhor avaliação de proficiência na leitura dos alunos e de temas que despertam mais interesses específicos. Isso tende a trazer mais eficiência no processo pedagógico desenvolvido pelos professores”, diz João Leal, fundador da Árvore de Livros.

De acordo com Leal, o investimento do BR Startups será fundamental para que a Árvore Educação amplie o número de escolas, privadas e públicas, podendo gerar impacto para o maior número de alunos possível.

Entre as metas para os próximos cinco anos está a multiplicação em nove vezes do número de escolas atendidas, com o impacto de mais de 1 milhão de alunos nos próximos anos.