Cubo anuncia mudança para nova sede 4 vezes maior que a atual

Avatar

Por Isabela Borrelli

23 de agosto de 2017 às 16:43 - Atualizado há 3 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Black Friday 2020

Nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

O Cubo, coworking do Itaú em parceria com a Redpoint eventures, anunciou hoje (23/08) que irá se mudar para um novo prédio com capacidade para abrigar até 210 startups (quatro vezes mais que atualmente). Com 12 andares, o prédio está finalizando as construções e será estreado no primeiro semestre do ano que vem.

A ideia surgiu em uma reunião com a diretoria do Cubo quando ele fez 18 meses, considerado o período-chave para startups avaliarem se o negócio está dando certo ou não. A conclusão foi que além de ter dado muito certo, era preciso ampliar o espaço não só para abrigar o crescimento de startups, como também mais ambientes para fomentar a troca de experiências.

“O Cubo foi criado para trazer o ecossistema do Vale do Silício para o Brasil. Fomos bem sucedidos e, hoje, temos uma lista de espera grande de empreendedores que querem ter o seu escritório aqui. Identificamos uma demanda do mercado e vamos trabalhar para atendê-la”, afirma Ricardo Guerra, diretor-executivo do Itaú Unibanco.

Terraço da nova sede

O espaço será a poucos quarteirões da atual sede, na Alameda Vicente Pinzon, 54, em frente ao Shopping Vila Olímpia. A opção de continuar na mesma região vem da necessidade de manter contato com grandes empresas, concentradas em um raio de 2 km dali. Outro nicho que o Cubo pretende explorar nessa mudança será o público universitário, uma vez que a relação com universidades ainda não é tão comum no Brasil.

Apesar de contar com uma nova estrutura, o valor por pessoa continua o mesmo – por volta de R$ 1mil -, sendo que para conseguir lugar no coworking as exigências são que as startups devem ter um produto pronto, um modelo de negócios que possa ser testado e já ter alguns clientes.

Faça parte do maior conector do ecossistema de startups brasileiro! Não deixe de entrar no grupo de discussão do StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo! E se você tem interesse em anunciar aqui no StartSe, baixe nosso mídia kit.

[php snippet=5]