“Crash no mercado é a melhor coisa que poderia acontecer”, diz CEO de Unicórnio

Fundador de startup ainda acredita que um crash faria os espaços de trabalho ficam mais baratos, os salários, menores, as compras de anúncios saem mais em conta e adquirir empresas se torna mais realista

Avatar

Por Paula Zogbi

4 de novembro de 2015 às 12:02 - Atualizado há 4 anos

Segundo o co-fundador da companhia de mensagens instantâneas Slack, Stewart Butterfield, os valores das empresas de tecnologia está alto, mas não existe bolha.

Em entrevista ao CNBC, Butterfield, que também ajudou a fundar o site de hospedagem de imagens Flickr, disse não estar preocupado com uma bolha e que sua startup poderia sobreviver mesmo que o mercado mude de direção. O Slack já está avaliado em mais de US$1 bilhão, o que o encaixa nas companhias que recebem o apelido de “unicórnios”. Atualmente ela vale US$ 2,8 bilhões. 

A preocupação no Vale do Silício é sobre um possível excesso de efervescência da cena de tecnologia, o que fez com que grandes nomes do capital de risco como Bill Gurley se preocupassem. Os valores de empresas como o Slack crescem em um ritmo muito veloz.

Mas, para Butterfield, “não podemos dizer em todas as vezes que há uma correção no mercado que há uma bolha chegando – isso tem que significar algo, certo? Nesse caso eu não acho que vai estourar e nada vai sobrar. Posso imaginar um ambiente em que o Slack, da maneira que existe, seria avaliado em um bilhão de dólares – mas posso imaginar um onde é avaliado em quatro bilhões”, ele afirma, destacando que o valor da sua empresa é muito volátil.

Ele também afirmou que há uma razão para que algumas empresas sejam avaliadas em preços tão altos. A receita do Slack, por exemplo, teve um período de 70 semanas em que cresceu 5,5% por semana – eles ainda estão medindo o crescimento semanalmente. E, para o CEO, uma quebra no mercado poderia ser beneficial à sua companhia.

Em entrevista, ele afirmou que “um crash gigante é a melhor coisa que poderia acontecer, na nossa perspectiva. Os espaços de trabalho ficam mais baratos, os salários, menores, as compras de anúncios saem mais em conta e adquirir empresas se torna mais realista”.