Conheça Tikal Tech, a startup de lawtech que lançou o “robô-advogado”

A lawtech traz soluções de automação e rentabilidade para o mercado jurídico

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

6 de outubro de 2017 às 19:19 - Atualizado há 2 anos

Robô-Advogado

Fundada em 2015, a Tikal Tech é uma empresa originada por advogados e engenheiros que desejam trazer soluções para o mercado jurídico. A lawtech oferece uma combinação de serviços através de softwares (SAAS) e consultoria de acordo com a necessidade do cliente final.

As soluções trazidas pela empresa são para economizar tempo dos advogados, trazendo a automação de processos repetitivos e de pouco valor. O Eli Bot, por exemplo, é um robô-assistente que usa a inteligência artificial para trazer produtividade.

A restituição do imposto de ICMS cobrado indevidamente nas contas de energia é um exemplo: é necessário buscar todas as contas pagas dos últimos cinco anos pelo cliente e seus comprovantes e reunir, somar e corrigir o valor pago para a inflação atual apenas para começar a petição inicial. O advogado recebe 30% de um valor pequeno (já que as próprias contas de energia geralmente são baixas), tornando o processo pouco atrativo.

É aí que o Eli Bot entra, coletando as contas, realizando os cálculos, gerando a petição inicial com os dados do cliente (já direcionando para a comarca correta) e o advogado apenas revisa o trabalho e dá o aval final, voltando seu tempo para tarefas mais complicadas.

A produtividade e rentabilidade são ganhas ao realizar um processo antes inexistente. “Com o Eli Bot, o consumidor encontra mais advogados a fazer esse tipo de ressarcimento de valores. Mesmo que ganhe pouco por processo, vale a pena pegar porque o Eli Bot poupa a energia do advogado, que ganha em quantidade”, afirma Derek Oedenkoven, CEO da Tikal Tech.

Para advogados, ainda há o “LegalNote”, que monitora os processos e avisa sempre que houver atualizações. O profissional pode arquivar todas as informações, documentos e imagens a respeito do processo e compartilhar com a equipe e clientes. Já o “Diligeiro”, outro produto, conecta escritórios e advogados à correspondente jurídicos. O interessado publica a demanda, local do trabalho e o prazo, e profissionais se candidatam para cumprir a diligência. O próprio aplicativo traz um chat para facilitar a conversação entre as partes.

O diferencial da Tikal Tech é trazer produtos jurídicos até para os cidadãos. O “Seu Processo” permite que as pessoas físicas consultem o andamento dos processos, sejam avisadas dos andamentos e ainda tirem dúvidas com advogados conveniados.

Para Derek, as lawtechs revolucionarão o direito como conhecemos, mas não extinguirão a profissão. “Vem aí uma mudança grande no ecossistema jurídico, mas ela não é tão disruptiva como se fala, no sentido de acabar com os empregos ou com a profissão. A inteligência artificial está evoluindo, (…) vai preencher um espaço de tarefas repetitivas e produtividade, mas sempre terá a necessidade de um advogado e um toque humano para arbitrar o resultado e ensinar um novo trabalho”, afirma o CEO.

Para saber mais sobre como startups estão transformando o meio jurídico, participe da Lawtech Conference da StartSe na terça-feira (10). Confira!

Participe do maior censo de startups do Brasil! Não deixe de entrar no grupo de discussão da StartSe no Facebook e de inscrever-se na nossa newsletter para receber o melhor de nosso conteúdo!

E caso você tenha em patrocinar os eventos da Startse, entre em contato no patrocinio@startse.com.

[php snippet=5]