Conheça o OrCam, dispositivo que usa IA para tornar o mundo acessível para cegos

Isabella Carvalho

Por Isabella Carvalho

26 de abril de 2019 às 12:47 - Atualizado há 1 ano

Logo ReStartSe

GRATUITO, 100% ONLINE E AO VIVO

Inscreva-se para o Maior Programa de Capacitação GRATUITO para empresários, gestores, empreendedores e profissionais que desejam reduzir os impactos da Crise em 2020

O doutor Bryan Wolynski é optometrista especializado em baixa visão e representante internacional do OrCam MyEye. Em Nova York, ele realiza exames de atenção primária e avaliações para pessoas com baixa visão. “Entre as principais queixas dos pacientes estão a dificuldade de leitura, mobilidade e outras atividades do dia a dia”, explicou Wolynski durante a HealthTech Conference, realizada pela StartSe.

Em uma das consultas, um paciente chamou atenção de Bryan. “Ele me descreveu todos os sintomas de sempre. Disse que estava com medo de sair de casa, porque morava sozinho. Também disse que parou de dirigir, que perdeu sua independência. Durante os exames, ele falou sobre o OrCam”, contou Wolynski.

Foi assim que ele conheceu a solução, que torna o mundo acessível para cegos, deficientes visuais e pessoas com dificuldades de leitura. Desde então, Bryan Wolynski atua como consultor da marca em Nova York.

Lançado em 2015 por Amnon Shashua e Ziv Aviram, o OrCam é capaz de ler textos de jornais, livros, menus de restaurantes, rótulos de produtos e telas de computador. Além disso, reconhece rostos e identifica diversos produtos. O dispositivo é pequeno, leve  e pode ser encaixado em todos os modelos de óculos.

Para colocar em prática as funcionalidades, ele é tem um software de inteligência artificial e é equipado com câmeras, luzes de LED e um alto-falante perto do ouvido do usuário. “Eu aponto meu dedo, ele tira uma foto e começa a ler automaticamente”, explica Wolynski.

Hoje, o dispositivo, que já recebeu algumas atualizações com os passar dos anos, está disponível em 37 países e 24 línguas. Porém, segundo Wolynski, ainda há muito o que explorar. “Trabalhei com centenas de pacientes nos Estados Unidos, mas temos muito mais no mundo todo”.