Conheça a história de um homem que fundou uma startup tão valiosa quanto a Petrobras

Neste ano, o Uber já levantou US$ 5,9 bilhões em investimentos, sendo que outros possíveis US$ 2 bilhões poderiam aumentar o valor da empresa de US$ 20 bilhões para US$ 50 bilhões

Avatar

Por Júlia Miozzo

8 de julho de 2015 às 15:19 - Atualizado há 5 anos

SÃO PAULO – O Uber é a startup mais valiosa da história, a primeira a alcançar uma avaliação de US$ 20 bilhões (podendo alcançar os US$ 50 bilhões, o que a faria tão valiosa quanto a Petrobras), e também uma das mais polêmicas. Em operações em mais de 58 países, cerca de 113 cidades, ela foi fundada em 2010 como UberCab por Travis Kalanick, seu atual CEO.

O empreendedor de 38 anos hoje possui um patrimônio estimado em US$ 5,3 bilhões, mas passou por uma série de situações difíceis antes disso.

Ele nasceu em Northridge, Califórnia, nos Estados Unidos, e queria ser um espião quando criança, conforme conta o Business Insider. Mas ainda cedo começou a seguir os passos empreendedores de sua mãe, que trabalhava anunciante do varejo. Seu primeiro negócio foi aos 18 anos, um curso preparativo para o SAT (vestibular norte-americano) chamado New Way Academy.

Ele entrou para o mundo da tecnologia na faculdade, quando estudou engenharia da computação na UCLA – que acabou abandonando para trabalhar em um novo mecanismo de busca online com dois colegas, o Scour. Mesmo trabalhando em tempo integral na startup (e recebendo auxílio do governo por estar “desempregado”), a empresa acabou indo à falência após ser processado em US$ 250 bilhões.

Pouco tempo depois, entretanto, Kalanick já se tornava um milionário, com sua nova empreitada. Ele fundou a empresa empresa de software RedSwoosh foi o que o levou à recuperação: antes mesmo da companhia começar a crescer, ela foi vendida por US$ 23 milhões para a Akamai, gigante da internet.

Após viajar o mundo, ele teve a primeira ideia do Uber em uma conferência de tecnologia, em 2008. Ele via o serviço como uma maneira de diminuir o custo de um “motorista” apenas ao tocar um botão. Lançado em 2010, o então UberCab permitia que o usuário pedisse um carro em São Francisco apenas ao mandar um sms, por um custo 1,5 vez maior que uma corrida de taxi.

No mesmo ano, a startup arrecadou US$ 1,25 milhões em investimentos da First Round Capital e Kalanick se tornou o CEO. Rapidamente, a startup expandiu seus serviços para outras cidades dos Estados Unidos, incluindo seu principal mercado, Nova York. A primeira cidade fora do país a receber os serviços foi Paris, no final de 2011.

Neste ano, o Uber já levantou US$ 5,9 bilhões em investimentos, sendo que outros possíveis US$ 2 bilhões poderiam aumentar o valor da empresa de US$ 20 bilhões para US$ 50 bilhões, o que a tornaria a empresa privada de tecnologia mais valiosa do mundo.

A startup já trabalha com serviços de entrega em alguns locais, como o UberEATS e o Uber Rush, sistemas de entrega de refeições e correio. Em maio, Kalanick recrutou diversos pesquisadores do departamento de autonomia de veículo da Carnegie Mellon University, o que levou a rumores de que o Uber experimentaria os carros auto-dirigíveis. Kalanick já se tornou um bilionário oficialmente, graças ao alto valor do Uber.