Bill Gates cria programa bilionário de investimentos em energia limpa

Avatar

Por Júlia Miozzo

30 de novembro de 2015 às 15:03 - Atualizado há 5 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

SÃO PAULO – Junto de outros investidores de todo o mundo, Bill Gates está investindo em um programa de energia limpa. Chamado Breakthrough Energy Coalition, o programa deve ser anunciado pelo bilionário junto dos presidentes Obama e François Hollande, da França, na conferência de cúpula de mudança climática em Paris.

Segundo informações do CNN Money, mais de doze entidades públicas e privadas vão investir no fundo. “As tecnologias renováveis que temos hoje, como eólica e solar, fizeram muito progresso e podem ser o caminho para um futuro de energia com zero emissão de carbono. Mas, dada a escala do deságio, precisamos explorar muitos caminhos diferentes – e isso significa que também precisamos inventar novas abordagens”, disse Gates em um comunicado.

Mais de doze governos também se comprometeram a dobrar seus gastos no desenvolvimento de energia limpa e sem emissão de carbono pelos próximos cinco anos. Por enquanto, não existe uma meta de arrecadação para investidores privados na iniciativa, apenas cinco áreas definidas para onde serão destinada a verba arrecadada: geração e armazenamento de eletricidade, transporte, uso industrial, agricultura e projetos que tornam os sistemas de energia mais eficientes.

De acordo com Gates, a verdadeira meta é criar novas tecnologias de energia enquanto é feito o combate da mudança climática ao “evitar que as temperaturas globais de aumentem mais de dois graus”. Reduzir a dependência global em combustíveis fósseis também tem o potencial para benefícios econômicos massivos.

“Isso ajudaria mais milhões de pessoas a escapar da pobreza e a se tornar autossuficientes. Também estabilizaria os preços de energia, o que terá um impacto ainda maior na economia global conforme mais pessoas vêm a depender de energia em seu dia a dia”, completou.