Yellow expande sua área de atuação para a região da Avenida Paulista

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

5 de dezembro de 2018 às 08:47 - Atualizado há 2 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

A Yellow, startup de compartilhamento de bicicletas e patinetes elétricos, ainda não estava presente na avenida cartão-postal de São Paulo: a Avenida Paulista. Isso devido a área de atuação que criou recentemente e que cobra R$ 30 para quem estacionar fora dela.

Agora, a startup anunciou, nesta terça-feira (4) a expansão da área de atuação para a Avenida Paulista. O próximo passo é expandir também para um trecho da ciclovia da Avenida Eliseu de Almeida, no bairro do Butantã, em São Paulo.

Desde que a empresa iniciou suas operações, no dia 2 de agosto, em São Paulo, foram realizadas mais de 150 mil corridas. Por enquanto, a startup paulistana expandiu recentemente para São José dos Campos – SP, e ensaia sua atuação em outros estados do país.

Em agosto, a Yellow foi lançada com o modelo de negócios de compartilhamento “dockless” – ou seja, os veículos não precisam ser deixados em estações específicas. A decisão de delimitar a atuação em áreas específicas foi só há dois meses. Antes disso, vários relatos de bicicletas vandalizadas, quebradas ou até vendidas pela internet foram divulgados.

A expansão para o local de alta demanda, como a Avenida Paulista, vem em boa hora para a Yellow. Isso porque a Jump, bicicleta elétrica e compartilhada da Uber, deve chegar ao país no ano que vem.

E pode ser que a gigante do Vale do Silício concorra ainda também no setor de patinetes elétricos. Recentemente, saíram rumores de que a Uber está sondando adquirir a Bird ou Lime, duas das maiores startups do setor.