As 7 tendências que estão guiando novos negócios no momento

Avatar

Por Da Redação

27 de agosto de 2015 às 16:03 - Atualizado há 5 anos

Logo ReStartSe

GRATUITO, 100% ONLINE E AO VIVO

Inscreva-se para o Maior Programa de Capacitação GRATUITO para empresários, gestores, empreendedores e profissionais que desejam reduzir os impactos da Crise em 2020

SÃO PAULO – As startups variam de tempos em tempos. Tendências surgem conforme a economia e os anos vão mudando, novas tecnologias vão surgindo, novos mercados emergem e empresas se consolidam.

Um exemplo? Queridinho dos anos anteriores, o ramo de startups voltadas para social está quase morto de tão saturado. Grandes empresas já surgiram e dominam a cena como o Facebook e o LinkedIn. Se você quer abrir uma startup, é hora de procurar outro segmento que esteja mais promissor.

Mas quais são eles? O Business Insider listou 7 tendências que estão surgindo depois de ouvir o pitch de 146 startups diferentes em vários demo days. Cuidado, porém: tendências de hoje serão as de ontem amanhã. É importante estar um passo à frente da concorrência. Fique esperto. Confira as 7 tendências:

1) Social está morto
Das 146 startups, apenas duas eram redes sociais. Uma focava em alunos e outro era um aplicativo de encontros para lésbicas (antes de pivotar e se tornar uma rede social para mulheres). Nenhuma delas era uma alternativa para mandar mensagens, divulgar fotos ou dar check-in em lugares – o que fazia bastante sucesso nos últimos anos.

2) Segurança é a nova moda
Com os ataques a Sony, Ashley Madison nos últimos anos, a demanda por segurança cresceu bastante, multiplicando as startups do setor. Comparadas com o approach tradicional do segmento, as companhias de segurança estão atacando os problemas de diversas maneiras – mas nenhuma delas se destacou até agora.

3) Startups de hardware estão crescendo
Outro setor em alta é o de hardware. Mas não apenas computadores, tablets, celulares e relógios. As startups hoje variam de chuveiros inteligentes até robôs que montam o sanduíche. Com o sucesso da Fitbit, as startups estão tentando fazer cada coisa do seu cotidiano de uma maneira diferente e mais inteligente.

4) O processo de contratação vai mudar drasticamente
Diversas startups estão tentando mudar a forma que contratamos novos empregados, fazendo o processo mais eficiente para as empresas. Isso não significa que o setor de Recursos Humanos das empresas vai morrer, mas que provavelmente só vai entrar nos últimos momentos das contratações. As startups deverão fazer todo o processo antes.

5) O dinheiro está caindo da árvore, e pequenas empresas o querem
Algumas das “startups” analisadas fugiam completamente do conceito de startups. Eram pequenas empresas que queriam dinheiro para crescer. Um exemplo: uma companhia que fabrica um preservativo não-tóxico focado nas mulheres. Mas ao invés de explicar a tecnologia e como isso faria as mulheres quererem (o que uma startup tradicional faria), o fundador da “startup” resolveu falar de margens. “Cada uma custa 5 centavos para fabricar e uma caixa com 12 é vendido por US$ 15)”.

6) Todos são “X por Y”
A maioria das empresas se apresentavam com comparações com empresas que já existem. Isso faz bastante sentido quando você só tem três minutos para vender, mas o problema é quando é realmente uma cópia de algo para outro segmento. Se uma empresa já se destacou com a sua ideia, como é que a sua vai ter mais sucesso ainda?

7) Startups estão entrando em nichos
Com a maioria dos setores saturados, as startups estão tentando pegar um pedaço com nichos. Isso faz com que os mercados sejam menores, mas facilita o crescimento. O problema de estar em um nicho é que é difícil de criar os retornos que investidores esperam ver, mas há empresas que começaram em mercados pequenos e se tornaram gigantes – como o Facebook, que começou como uma rede social para universitários.