Após escândalo de más condições, Amazon cria novos benefícios a seus funcionários

Avatar

Por Júlia Miozzo

3 de novembro de 2015 às 17:13 - Atualizado há 5 anos

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

SÃO PAULO – Recentemente, a Amazon foi alvo de críticas por ter uma política de trabalho um tanto abusiva, sem garantir direitos aos trabalhadores e por submetê-los a uma rotina exaustiva em que trabalhadores ficavam até quatro dias sem dormir. As infomrações são do CNN Money.

A situação, entretanto, está prestes a mudar: na última segunda-feira (2), a empresa anunciou uma nova política de licença maternidade e paternidade para seus funcionários, com novos benefícios. Agora, novas mães terão direito a vinte semanas de licença remunerada e novos pais terão licença garantida de seis semanas.

Além disso, funcionários podem dividir sua licença paternidade com um colega que não tem direito a licença e as mães biológicas e cuidadoras terão direito de voltar ao trabalho em um horário mais flexível.

Foi em agosto que o New York Times divulgou em agosto um artigo com entrevistas de ex-funcionários da empresa que descreviam um ambiente hostil e comentários feitos a outros funcionários que diziam que “criar uma criança ia lhe impedir de ter um sucesso maior na empresa por conta das longas horas de trabalho que eram exigidas”.