Airbnb lança submarca de acomodações de luxo com média de US$ 2 mil por noite

João Ortega

Por João Ortega

27 de junho de 2019 às 11:56 - Atualizado há 1 ano

Logo ReStartSe

Inscreva-se para o maior e mais audacioso evento de inovação, tecnologia e transformação digital já feito na América Latina. 30 dias que vão mudar sua visão de mundo, dos seus negócios e da sua carreira.

Online e totalmente gratuito - 01 a 30 de outubro/2020

A plataforma de hospedagem compartilhada Airbnb lançou nesta terça-feira (25) o serviço Airbnb Luxe, dedicado a proporcionar experiências de luxo para os usuários. As acomodações presentes no novo serviço têm custo médio de US$ 2 mil por noite.

No Airbnb tradicional, acomodações de alto padrão vêm com o rótulo “Plus”, que indica que o local passa por uma inspeção presencial que atesta a qualidade. Hospedagens “Plus”, no entanto, tinham um preço médio de US$ 150 por noite, bem abaixo do praticado no novo serviço. No Luxe, as acomodações não são apenas inspecionadas como “escolhidas a dedo” pela equipe da startup, segundo comunicado oficial.

“Isso inclui critérios de design elevados em uma variedade de elementos, desde materiais e acabamentos premium e características raras e únicas, a espaços que acomodam grupos, com arquitetura altamente funcional, equipamentos com nível de chef e a quantidade adequada de banheiros correspondentes a cada quarto”, especifica o serviço.

Entretanto, o Airbnb Luxe não se restringe às acomodações em si e proporciona toda uma experiência luxuosa de viagem ao usuário. Isto inclui motorista particular no aeroporto, reserva em restaurantes premiados e um “designer de viagens” com atendimento personalizado para planejar um roteiro de acordo com cada cliente.

Segundo o comunicado, o mercado de viagens de luxo está crescendo: em 2018, aumentaram em 60% as reservas em hospedagens com valor superior a US$ 1 mil por noite. Analistas estimam esse mercado no valor de US$ 200 bilhões, com tendência de tornar-se ainda maior nos próximos anos. No Airbnb Luxe, há mais de 2000 opções de hospedagens ao redor do mundo, mas, por enquanto, nenhuma delas está no Brasil.