Esse é o alimento mais revolucionário da história

Da Redação

Por Da Redação

8 de Maio de 2018 às 10:04 - Atualizado há 2 anos

Logo ReStartSe

GRATUITO, 100% ONLINE E AO VIVO

Inscreva-se para o Maior Programa de Capacitação GRATUITO para empresários, gestores, empreendedores e profissionais que desejam reduzir os impactos da Crise em 2020

O Google tentou comprar uma empresa, mas não conseguiu. Pouco antes, Bill Gates já havia feito um investimento gigantesco nela. Outras dezenas de pessoas queriam um pedaço, mas nem todo mundo conseguiu.

A razão de tanta procura? O produto mais revolucionário da história. Vou te falar uma coisa que você não vai acreditar. Esse hamburger aí da foto é feito de plantas. Sim, aqueles negócios verdes que crescem com a luz do sol, que fazem clorofila. Planta. É ser vivo, mas não faz barulho e não sangra. Na verdade, não teria nem como ter essa aparência de sangue. De carne de verdade.

Mas a Impossible Foods fez. Carne de planta. Não sei nem como é possível, mas ela não é a única que está fazendo isso (a Beyond Meat até tem um ex-executivo do McDonald’s no conselho). E tirando a possibilidade de isso ser um scam (tipo Theranos), é revolucionário. Só não consigo imaginar alguém da empresa pedindo desculpas e falando “nossa carne é carne mesmo”, afinal, essa aqui não tem nem papelão.

Agora, a empresa está “tomando o caminho da Tesla” para popularizar seu produto:

1) Começar com um produto MUITO caro procurando pessoas que poderiam pagar pela grande qualidade. A Tesla fez isso com o Roadster no começo e só agora começa a produzir carros em larga escala. Assim, o produto passa a ser desejado.

2) Está fazendo seu marketing que enfatiza a competitividade do seu produto frente seus adversários. O que a Tesla fazia ao lembrar que o Roadster tinha aceleração e velocidade máximas sensacionais ao invés de falar que “é melhor para o ambiente”. Se as pessoas quisessem simplesmente deixar de comer carne, já estariam comendo hambúrguer de soja.

3) Começar pequeno, pois é quase impossível adentrar mercados já dominados por grandes players. Para tal, a empresa tem chegado aos poucos nos supermercados americanos – já é possível encontrar o alimento no Whole Foods, por exemplo.

Uma empresa revolucionário incomoda muita gente

Se é revolucionário, pode acreditar que vai incomodar muita gente. Por isso mesmo, agricultores norte-americanos estão se juntando para conseguir barrar que a Impossible Foods chame sua carne de plantas de “carne”. Estão com medo de seu negócio ser disruptado por startups como essas.

O campo está mudando e é hora dos agricultores mudarem também. Para ajudar nessa “travessia”, preparamos um ebook gratuito sobre como as startups estão revolucionando o agronegócio. Dê uma olhada aqui.

 

[php snippet=5]