4 maneiras que a blockchain está revolucionando a agricultura

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

21 de maio de 2018 às 15:00 - Atualizado há 3 anos

Logo Novo Curso

Transmissão exclusiva: Dia 08 de Março, às 21h

Descubra os elementos secretos que empresas de sucesso estão usando para se libertar do antigo modelo de Gestão Feudal de Negócios.

Inscreva-se agora
Logo Cyber Monday 2020

Só hoje, nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

A blockchain, plataforma online aberta e criptografada, ficou conhecida ao redor do mundo por suportar as transações de Bitcoin e outras criptomoedas. A criação de moedas 100% virtuais só foi possível devido a essa tecnologia revolucionária, que garante que todas as transações sejam rastreáveis e acessíveis, promovendo um histórico aberto e seguro. Agora, a blockchain já está sendo usada por outros mercados.

É o caso do Direito, no qual os profissionais utilizam a blockchain para realização de “smart contracts” (contratos inteligentes online), registro de imóveis e outros bens. Agora, a tecnologia está sendo usada até mesmo no agronegócio, tornando-se uma alternativa viável de negociação entre produtores, empresas e outros players do ecossistema. Confira as 4 maneiras mais comuns de como a tecnologia está sendo usada:

  1. Rastreamento de comida

Você já imaginou fazer uma refeição e saber exatamente onde cada produto foi plantado, colhido e todo o caminho realizado até chegar ao seu prato? Com a blockchain, isto é possível e já está sendo realizado, através da Blockchain Food Safety Alliance. Em 2017, a IBM, Walmart, JD.com (e-commerce do Alibaba), e a universidade de engenharia Tsinghua criaram a rede para rastrear os produtos, diminuindo custos e ajudando a evitar problemas como intoxicação alimentar.

  1. Rastreamento de commodities

O rastreamento de produtos está sendo interessante também para as empresas que os utilizam como matéria-prima. Empresas que produzem café, como a Great Lakes Coffee e Coda Coffee, estão utilizando a tecnologia para rastrear os grãos, permitindo que o consumidor final acesse um QR Code para saber a origem da bebida. Neste mercado, o valor do café muda de acordo com a origem do produto, tornando-se importante que o comprador tenha como atestar a veracidade das informações. Com a blockchain, isto é possível em qualquer momento, por qualquer pessoa.

  1. Transações

A blockchain é capaz de reduzir o tempo de transações (inclusive entre países), o que é válido inclusive para as compras na agricultura. A empresa americana Louis Dreyfus Co. utilizou a blockchain ao vender 60 toneladas de soja ao governo chinês e reduziu pela metade o tempo de processamento da transação, que durou uma semana ao invés de duas. Principalmente no setor agrário, no qual muitas compras e vendas ainda são feitas em papel, a blockchain pode contribuir agilizando processos e mantendo-os transparentes.

  1. Logística

Os alimentos saem da fazenda, passam pelo processador, distribuidor e varejista antes de chegar ao consumidor final. É um longo caminho, passível de muitos erros. A logística para que os produtos não sejam danificados é uma parte importante do processo, principalmente quando tratam-se de alimentos perecíveis. Além de facilitar no rastreamento dos alimentos e produtos, a blockchain traz mais segurança ao registrar em que fase do processo um alimento se encontra e quanto tempo levou até o próximo estágio. Caso o produto esteja avariado, é mais fácil perceber onde está o erro.

Conheça como a tecnologia está revolucionando o agronegócio a partir de startups em nosso e-book gratuito.