“A Apple me escutou e uma startup sem fluxo de caixa ignorou”, diz Taylor Swift

Avatar

Por Júlia Miozzo

5 de agosto de 2015 às 10:24 - Atualizado há 5 anos

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 22 a 25/Fev - 2021, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Cyber Monday 2020

Só hoje, nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

SÃO PAULO – A história entre Taylor Swift, Spotify e Apple Music ainda não acabou. A cantora é capa da última edição da revista Vanity Fair, onde ela discute sobre a carta que escreveu e que fez a Apple mudar sua política de pagamentos aos artistas participantes do streaming. Muito antes, porém, ela havia sido ignorado. 

Antes da Apple entrar no segmento, as suas músicas já tinham ido para o Spotify. Taylor porém pediu que fossem retiradas pela maneira com que a empresa pagava os artistas e por tê-laignorado quando ela pediu que isso fosse mudado. À revista, ela disse que era “irônico” que o Spotify, uma empresa que até hoje só perdeu dinheiro, tenha a ignorado enquanto a Apple, a maior do mundo, a escutou.

“A Apple me tratou como se eu fosse uma voz de uma comunidade criativa que eles realmente se importavam”, ela disse. “E eu achei muito irônico que a empresa multibilionária reagiu à crítica com humildade, enquanto a startup sem fluxo de caixa reagiu a ela como uma máquina corporativa”.

Além disso, ela também conta que ficou em dúvida se devia ou não publicar a carta em seu Tumblr oficial. Assim que seus amigos começaram a receber contratos do Apple Music e ela viu o termo em que mostrava que não haveria compensação aos donos dos direitos de músicas.