Brechó online RealReal define os termos de IPO e pode captar US$ 285 milhões

A plataforma detém o título de maior mercado de bens de luxo consignados; expectativa agora é fazer brilhar os olhos dos investidores

0
shares

O brechó on-line RealReal definiu nesta segunda-feira os termos para sua oferta pública inicial em Nova York. O site que vende artigos de luxo consignados espera captar até US$ 285 milhões e ser avaliado em cerca de US$ 1,57 bilhão.

O RealReal é um mercado on-line para bens de luxo consignados, uma espécie de Mercado Livre, só que para itens de moda como bolsas, relógios, jóias e arte. Fundada há oito anos, a empresa já alcançou, no mercado privado, o status de unicórnio, como são denominadas as empresas com valor de mercado de mais de US$ 1 bilhão. A empresa já levantou US$ 334,6 milhões em investimentos em nove rodadas de capitalizações, sendo que a última delas aconteceu em março.

De acordo com o RealReal, o mercado existente de revenda de luxo está desatualizado, fragmentado e cheio de produtos falsificados, o que deixou os compradores e vendedores hesitantes em participar. O RealReal resolve estes problemas por meio de seu site, cuja estratégia é "recircular" bens de luxo para as pessoas que mais os querem. Isso beneficia os expedidores, que vendem os itens de luxo que não usam mais, bem como os compradores que compram produtos de luxo de segunda mão, com desconto.

O site é, portanto, um marketplace, não um ecommerce puro. A empresa não possui o estoque que vende, a plataforma apenas conecta compradores às pessoas que querem vender seus itens. Segundo a empresa, todos os produtos são inspecionados e avaliados. Se o consignador concordar com a avaliação, o RealReal listará o item em seu site ou em um de seus três locais físicos. Em média, o RealReal mantém uma comissão de 35% em cada venda.

Termos do IPO

A companhia está oferecendo 15 milhões de ações, com intervalo de preço estimado entre US$ 17 e US$ 19 por ação. A ação deve ser listada na Nasdaq. Se os coordenadores da operação -- os bancos Credit Suisse, BofA Merrill Lynch, UBS e KeyBanc Capital Markets -- exercerem todas as opções para comprar até 2,25 milhões de ações adicionais, o RealReal poderá levantar até US$ 327,8 milhões.

Após a oferta pública, a empresa terá 82,7 milhões de ações em circulação. A empresa reportou um prejuízo líquido de US$ 75,8 milhões com receita de US$ 207,4 milhões em 2018. Em 2017, o prejuízo foi de US$ 52,3 milhões e a receita de US$ 133,9 milhões.

Competição à vista?

Poderia outra empresa de comércio eletrônico, como a Amazon, competir com o RealReal? Sim, mas primeiro precisariam desenvolver a mesma infraestrutura especializada para autenticar itens. Há pouco tempo, o eBay entrou no mercado de revenda de artigos de luxo, com o eBay Authenticate, lançado em 2017.

A plataforma do eBay permite que os vendedores tenham itens de luxo certificados por especialistas. No entanto, o eBay é muito criticado por vender produtos falsificados e outras fraudes. Por isso, o RealReal, cuja operação é mais focada no nicho de luxo, tornou-se um mercado atraente para compradores e expedidores. Como resultado, a plataforma cresceu e hoje detém o título de maior mercado de bens de luxo consignados. A expectativa agora é saber se o IPO da empresa vai chamar tanta a atenção dos investidores quantos os artigos que luxo expostos em sua vitrine online.

Atualize-se em apenas 5 minutos


Receba diariamente nossas análises e sinta-se preparado para tomar as melhores decisões no seu dia a dia gratuitamente.

Comentários