Como um QR Code pode tornar sua startup mais ágil

Mais do que um código de barras digital, o QR Code evoluiu para se tornar uma "poderosa ferramenta de marketing de precisão", segundo Benjamin Claeys, fundador da startup QR Zebra

0
shares

Na China, os QR Codes estão em todo o lugar. O código se popularizou em parte para substituir as URLs (links da internet), que não aceitam os caracteres da língua oficial do país. Entretanto, com a adoção da ferramenta pelas empresas de tecnologia Alibaba e Tencent como forma de pagamento, a figura tornou-se onipresente nos smartphones chineses. Foi neste contexto que surgiu, no ano passado, em Beijing, a startup QR Zebra.

À primeira vista, a QR Zebra é um gerador de QR codes gratuito com design diferenciado. Qualquer usuário pode adaptar o código para a identidade visual da empresa e integrá-lo melhor ao seu produto. Porém, são as funções pagas da plataforma que trazem os grandes diferencias da startup fundada pelo empreendedor belga Benjamin Claeys. 

negócios com a china

Mais do que apenas levar o consumidor a uma determinada URL, o QR Zebra permite obter dados em tempo real sobre este cliente e até transportá-lo a conteúdos diferentes da web, de acordo com diversas variáveis. "É uma poderosa ferramenta de marketing de precisão", explica Claeys em entrevista à StartSe. 

A popularidade do QR Code

Para Claeys, um dos aspectos que torna o QR Code uma ferramenta tão popular é o fato dele ser lowtech. Isto significa que, apesar de ser gerado online e precisar de um smartphone para detectá-lo, ele pode ser impresso em uma simples folha de papel, por exemplo. Para o comerciante, isto significa um baixo custo e não ser necessário uma conexão de internet local. "Na China, até os moradores de rua tem QR Codes impressos para pedir dinheiro às pessoas", exemplifica o empreendedor, que está há doze anos no mercado do país asiático. 

Apesar da evolução da tecnologia de reconhecimento facial, ela não deve substituir os QR Codes em meios de pagamento tão rápido por este motivo. Cada comerciante precisaria ter uma câmera de qualidade e uma boa conexão de internet para realizar transações desta forma, o que ainda é inviável para boa parcela da população. 

"Eu vejo uma grande tendência de aumento do uso de QR Codes nos Estados Unidos. E se os EUA estão usando, e a China também, então o mundo inteiro deve seguir esta tendência", prevê Benjamin Claeys. 

QR Code dinâmico e multi-URL

Para um empreendimento, o QR Code é uma forma barata de se fazer propaganda e levar conteúdo próprio aos clientes. Em um produto, ele pode estar impresso na embalagem, por exemplo, fazendo a conexão entre o mundo offline com o online. Os QR Codes dinâmicos da QR Zebra permitem que a empresa saiba exatamente o local e o momento em que seus consumidores estão escaneando os códigos, e estes dados podem explicar como os produtos estão sendo consumidos após a compra. 

Já o QR Code multi-URL vai mais além e faz com que o cliente abra conteúdos diferentes em seu smartphone, de acordo com três variáveis: lugar, momento e quantas vezes o código foi escaneado. "Especialistas em marketing das empresas podem pensar em infinitas possibilidades de uso para esta ferramenta", diz Claeys. "No entanto, os três a seguir foram os que surgiram quando desenvolvi a plataforma". 

Lugar: dependendo do local onde o consumidor está, o conteúdo que ele recebe varia. No caso de um produto internacional, o cliente escaneia o código em um país e acessa um vídeo no YouTube na língua local. Em outro país, ele acessa uma página do Facebook, pois tem mais engajamento neste determinado mercado. "É o caso do marketing de precisão, pois conteúdos funcionam de forma diferente em cada país", explica o belga. 

Momento: dependendo da hora do dia, quem escaneia acessa uma página diferente. Por exemplo, na China, é comum em restaurantes que tenha um QR Code impresso na mesa para o usuário ver o cardápio. Pela manhã, ele acessa o menu de café-da-manhã; à tarde, as opções de almoço; de noite, o cardápio do jantar.  

Quantidade de leituras: de acordo com quantas vezes o mesmo código foi escaneado, o usuário recebe um determinado conteúdo.  Pode ser uma estratégia interessante para descontos progressivos: os 10 primeiros acessos recebem 50%, os 10 seguintes, 25%, e assim por diante. "Você também pode usar este serviço para testes AB: você testa um conteúdo para uma certa quantidade de pessoas, e um outro para a mesma quantidade de pessoas, e verifica qual dos dois teve melhor conversão", diz Claeys. 

QR Zebra no mercado global

Em menos de um ano no mercado, o QR Zebra já foi usado, em sua versão gratuita ou paga, por clientes de 93 países. Os principais mercados são EUA, China e Reino Unido, nesta ordem. 

Por enquanto, a startup recebeu um único aporte de um investidor-anjo. "Porém, estou mais interessado na expertise dele que no dinheiro", revela Benjamin Claeys. Agora, o empreendedor procura investimentos de Venture Capital para escalar a plataforma globalmente. Como o mercado de geradores de QR Codes é bastante fragmentado, o plano é se tornar líder mundial do segmento em até três anos. 

No Brasil, a startup tem clientes, mas o país está longe de ser uma das suas principais fontes de receita. Entretanto, o fundador da QR Zebra acredita que os códigos devem ser adotados em mais produtos em um futuro próximo. "Eu acho que será um mercado muito forte para nós. É uma questão de tempo para que uma marca que crie tendências comece a usar QR Codes de uma maneira positiva, e as demais a sigam", finaliza. 

Atualize-se em apenas 5 minutos


Receba diariamente nossas análises e sinta-se preparado para tomar as melhores decisões no seu dia a dia gratuitamente.

Comentários