O Fim da Pecuária já chegou aos Supermercados, e o preço é R$ 16,99

O "Futuro Burger" poderá ser encontrado em supermercados de São Paulo e Rio de Janeiro; preço sugerido para venda é de R$ 16,99

0
shares

Futuro Burger, hambúrguer de plantas que propõe o gosto e textura de carne, chega aos supermercados nesta terça-feira (28). Em São Paulo, estará disponível no Pão de Açúcar, St. Marche e Quitanda. No Rio de Janeiro, estará nas prateleiras do La Fruteria e Zona Sul. Em Minas Gerais, o produto poderá ser encontrado no Verdemar. A distribuição no resto do país será por conta do Carrefour. O lançamento é da foodtech (startup do setor de alimentação) Fazenda Futuro.

O primeiro produto lançado pela empresa será vendido entre R$ 16,99 a R$ 17,99 a bandeja com duas unidades. Ele estará disponível nas versões resfriada e congelada. Para quem prefere a experiência de ir a um restaurante, os hambúrgueres também integram o cardápio da Lanchonete da Cidade (São Paulo) e T.T. Burguer (Rio de Janeiro).

A Fazenda Futuro foi criada por Marcos Leta, fundador dos sucos Do Bem, e pelo empreendedor Alfredo Strechinsky. Em entrevista à StartSe, Leta afirmou que a startup planeja concorrer com frigoríficos, não com produtos vegetarianos ou veganos - e está utilizando tecnologias como inteligência artificial para isso.

O Futuro Burger é feito com grão de bico, proteína isolada de soja, proteína de ervilha e beterraba (para imitar a cor de “sangue”). A expectativa agora é de lançar outros tipos de “carne vegetal”, como almôndegas, polpetone e carne moída. Recentemente, a Fazenda Futuro realizou uma parceria com o Spoleto para trazer a carne de planta aos pratos do restaurante.

Um potencial bilionário

A "carne vegetal" é uma novidade no Brasil e no mundo, mas já há quem olhe com grandes expectativas. Um relatório recente do banco inglês Barclays prevê que este mercado chegue a uma receita total de US$ 140 bilhões nos próximos 10 anos. Para as grandes representantes desse setor, o saldo é positivo - a Beyond Meat estreou no mercado de capitais com alta de 140% em suas ações, enquanto a Impossible Foods está nos cardápios do Burger King e recebeu US$ 300 milhões de investimento recentemente.

Segundo a Barclays, as foodtechs devem focar em homens de 14 a 70 anos como público-alvo, pois este é o maior público consumidor de carne. A expectativa é que esses novos produtos capturem, na próxima década, 10% do mercado global de proteína animal, avaliado hoje em US$ 1,4 trilhão da carne.

O que os Profissionais do Agronegócio podem fazer para lucrar em um Futuro com cada vez menos carne?

Esse movimento das foodtechs está se tornando uma tendência cada vez mais forte no mundo inteiro:

  • Uma recente pesquisa do IBOPE mostrou que o número de vegetarianos no Brasil quase DOBROU em 6 anos
  • O Burguer King, que já tinha um lanche vegetariano, acaba de criar o “Impossible Whopper”, feito com uma carne vegetal que promete ser idêntica à bovina
  • A Seara, um dos maiores produtores de alimentos do Brasil e do mundo acaba de anunciar o "Incrível Burger", feito com proteína 100% vegetal.
  • O McDonalds, reconhecendo a tendência do mercado, estreou seu primeiro lanche vegetariano no Brasil, no fim do ano passado;

Se você se interessa sobre os impactos e tendências que empresas como a Futuro Burguer podem trazer ao futuro da alimentação e do agronegócio, confira esse material especial que a StartSe preparou falando mais sobre esse assunto.

Atualize-se em apenas 5 minutos


Receba diariamente nossas análises e sinta-se preparado para tomar as melhores decisões no seu dia a dia gratuitamente.

Comentários