Weel recebe investimento de US$ 6 mi do Banco Votorantim

A fintech, fundada pelo brasileiro Simcha Neumark e sócios, usa inteligência artificial para apoiar PMEs na antecipação de recebíveis

0
shares

O Banco Votorantim anunciou, nesta quinta-feira (17), que fez uma rodada de investimento de US$ 6 milhões de dólares na Weel. A fintech é a primeira plataforma online de antecipação de recebíveis.

Fundada em 2014, a Weel usa um modelo de análise de risco baseado em inteligência artificial aplicada sobre grandes massas de dados (big data). O modelo substitui os tradicionais métodos de análise, que dependem da consulta aos cadastros negativos de solicitantes. Isso dá agilidade ao serviço oferecido pela Weel. A fintech consegue avaliar em segundos o cadastro de uma empresa que entra na plataforma digital para pedir crédito. O mesmo serviço de análise em um banco tradicional leva de 15 a 20 dias.

Os sócios que lideram a Weel são os brasileiros, radicados em Israel, Simcha Neumark (presidente da startup) e Shmuel Kalmus (CTO), e o norte-americano radicado em Israel, Russell Weiss (lidera a área de risco). Em 2017, a Weel obteve um aporte de US$ 8,5 milhões.

A Weel tem hoje 62 funcionários, sendo que quase 80% deles são desenvolvedores, que estão baseados em escritórios em São Paulo, Tel Aviv e Jerusalém.

Bom para ambas as partes

O investimento foi feito após identificação de diversas frentes de sinergia entre as duas companhias. Pelo acordo, o Banco Votorantim entra com funding e estrutura de capital. A Weel entra com a inteligência de dados e um sofisticado modelo de análise de crédito, que proporciona a empresas acesso a capital de giro a um custo mais baixo do que as taxas de mercado.

O investimento na Weel amplia a presença do Banco Votorantim no segmento de PMEs, já que permite que o banco amplie oferta de crédito, utilizando a antecipação de recebíveis através de um novo canal de distribuição.

Inovação para PMEs

O segredo do sucesso da Weel, segundo a startup, está em aplicar a inovação tecnológica para fornecer capital de giro, com taxas mais acessíveis para os pequenos e médios empreendedores. O acesso a capital é um dos principais gargalos das PMEs.

Um exemplo de empresa cliente da Weel é a MultiRadius, de Aracaju (SE), empresa de 20 funcionários focada em aluguel de rádios de comunicação para uso em shoppings, plataformas de petróleo, obras. A MultiRadius começou a trabalhar com a Weel a menos de um ano e hoje consegue antecipar, mensalmente, em torno de R$ 200 mil em recebíveis.

Segundo Edivânia Dantas, diretora administrativa financeira da MultiRadius, a taxa de deságio das faturas é bem menor que os benefícios que a antecipação oferece. Ao poder dispor de capital imediato, a MultiRadius consegue aumentar o volume de suas compras de equipamento e, com isto, ganha um desconto de 5% no valor total das compras.

Um outro exemplo é a Targget, pequena empresa de projetos de automação e vigilância eletrônica de instalações prediais, de São Paulo. Os projetos que a Targget realiza são pagos após 30, 60 ou 90 dias. Ao fechar um projeto, no entanto, a Targget aloca mão de obra e compra equipamentos e material de instalação. Há, portanto, um descasamento entre a despesa e a receita. Ao antecipar suas faturas com a Weel, a Targget agora consegue manter suas operações em dia, sem precisar de endividamento. “As taxas cobradas são bastante compensadoras”, diz Rogério Tápias Passoni, o diretor financeiro da Targget.

Modelo de negócio digital

A fintech Weel emprega tecnologia aplicada ao ambiente de Big Data, com 15 mil pontos simultâneos de consulta, e conta com algoritmos testados para a valoração dos ativos. Isso permite registrar uma taxa média de inadimplência inferior a 1% sobre o valor de face das faturas resgatadas. A média de inadimplência no setor varia de 4% a 5%.

Através de sua plataforma digital, a Weel permite que, em poucos minutos e com uma navegação intuitiva, o interessado simule a operação de antecipação do recebível, verifique suas taxas - de forma automática e gratuita - e obtenha a aprovação sem a burocracia e o estresse característicos do relacionamento com outras instituições de fomento comercial.

De acordo com Simcha Neumark, da Weel, o investimento do Banco Votorantim permitirá acelerar o crescimento da startup, que atualmente cresce a média de 31% mês a mês.

Comentários

Mais em Startups