5 motivos para fazer parte da economia compartilhada

Na economia compartilhada, todos saem ganhando: o consumidor encontra o que estava procurando rapidamente, próximo a si mesmo e mais barato, enquanto o provedor ganha dinheiro

Avatar

Por Júlia Miozzo

22 de janeiro de 2016 às 16:37 - Atualizado há 4 anos

SÃO PAULO – A economia compartilhada, da qual faz parte startups como o Uber e Airbnb, conecta pessoas que precisam de um serviço ou produto específico e outros que os tem para oferecer. Por conta da aceitação que a economia compartilhada tem atualmente, muitas startups estão aderindo à ideia – e muitas surgem a partir dela.

Como conta o Entrepreneur, alguns especialistas preveem que essa economia só tende a crescer e abrir novas oportunidades para empreendedores.

Confira algumas delas:

1. Implante facilmente em seu negócio já existente
Na economia compartilhada, todos saem ganhando: o consumidor encontra o que estava procurando rapidamente, próximo a si mesmo e mais barato, enquanto o provedor ganha dinheiro. Essa pode ser uma maneira de complementar a renda, seja se tornando um motorista do Uber, disponibilizando quartos para aluguel ou com algum outro serviço.

Você pode conferir as oportunidades em negócios da economia compartilhada neste link.

2. Oportunidades de financiamento de pessoa para pessoa
O setor financeiro da economia compartilhada ainda precisa ser regulamentado, mas o processo para conseguir um empréstimo, por exemplo, é muito mais simples do que criar uma conta em um banco, união de crédito ou uma empresa tradicional de empréstimos. As pessoas físicas são responsáveis por boa parte do financiamento, através de crowdfundings, por exemplo. 

3. Custo mínimo para empreender
Microempreendedores que entram para a economia compartilhada normalmente começam com poucos dólares de capital. Muitas das startups de maior sucesso na economia compartilhada começaram com um financiamento tradicional baixo.

4. A economia compartilhada é construída no intercâmbio com a economia
Algumas partes da economia compartilhada funcionam sem dinheiro. Por exemplo, se uma pessoa com uma expertise específica ofereça instruções online por uma hora; como “pagamento”, ao invés de dinheiro, a pessoa que recebeu as instruções pode oferecer de volta instruções de uma área que ela tenha conhecimento.

Isso pode ser feito com inúmeras opções de serviço e levou a criação de um sistema inteiro que contabiliza horas pagas e recebidas como se fosse dinheiro.

5. Milhões de pessoas estão comprando na economia compartilhada
A economia compartilhada oferece tudo o que a atual geração de jovens adultos deseja, por isso tem feito tanto sucesso. Segundo uma pesquisa norte-americana sobre os gastos com consumo, a geração dos “baby boomers”, pai desses jovens, também se dão bem com a economia compartilhada, principalmente por ser mais barata do que os métodos tradicionais.

Com ambas as gerações abraçando a ideia da economia compartilhada, faz sentido que uma startup faça parte dele.