23andMe cria e licencia remédio feito com dados de DNA de clientes

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

13 de janeiro de 2020 às 16:24 - Atualizado há 11 meses

Logo Cyber Monday 2020

Só hoje, nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora

A 23andMe analisa a saúde e ancestralidade de clientes a partir da análise de DNA. Além do serviço analítico, a empresa ficou conhecida pela praticidade da solução: a preços acessíveis e com amostras enviadas pelo correio pelos próprios clientes, a partir de um kit oferecido pela startup.

Mais de 10 milhões de pessoas realizaram os testes da startup, o que constrói uma significativa base de dados. Agora, a 23andMe está utilizando esses dados para desenvolver e licenciar remédios. A companhia do Vale do Silício desenvolveu um remédio contra doenças inflamatórias, como psoríase. A licença foi vendida para a farmacêutica espanhola Almirall.

A Almirall poderá comercializar o remédio no mundo inteiro. A expectativa é de lançá-lo para combater condições dermatológicas. A receita ainda está sendo testada em animais e depois deverá ser testada em humanos.

Essa é a primeira vez que a 23andMe desenvolve um remédio “dentro de casa”. No passado, a empresa realizou uma parceria para compartilhar dados e colaborar no desenvolvimento de remédios com a farmacêutica britânica GlaxoSmithKline.

À Bloomberg, Emily Conley, vice-presidente de desenvolvimento de produto da 23andMe, afirmou que a empresa planeja desenvolver novos remédios. A companhia poderia começar, inclusive, a realizar os testes clínicos.