YouTube lança conteúdos originais – e gratuitos – gravados no Brasil

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

25 de setembro de 2019 às 16:43 - Atualizado há 1 ano

Vem aí a melhor formação de líderes do Brasil

Logo Liderança Exponencial Aprenda as novas competências fundamentais para desenvolver uma liderança exponencial e desenvolva diferenciais competitivos para se tornar um profissional de destaque no mercado.

100% online, aulas ao vivo e gravadas

Próxima turma: De 14 a 17/Dez, das 19hs às 22hs

Inscreva-se agora
Logo Cyber Monday 2020

Só hoje, nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

Além de agregar diversos produtores de conteúdo, agora o YouTube deixará de ser apenas plataforma e também irá disponibilizar suas próprias séries originais no Brasil. A empresa anunciou, nesta terça-feira (24), o lançamento de seis produções gravadas no país.

A novidade veio acompanhada de uma mudança: os conteúdos ficarão disponíveis para todos no site, e não apenas para assinantes. Esse era um dos principais benefícios do “YouTube Premium”. Agora, os assinantes continuarão a usar a plataforma sem anúncios, mas terão o benefício de receber todos os episódios das séries originais de uma vez.

O YouTube convidou canais de sucesso para integrar o “YouTube Originals”: Whindersson Nunes, Porta dos Fundos, Desimpedidos, Nathalia Arcuri (do canal “Me Poupe!”) e Manual do Mundo. Para fugir do formato já produzido por esses profissionais, o site aposta em iniciativas como reality shows e o auxílio de diretores e roteiristas de séries.

A primeira série lançada pela empresa será com o Whindersson Nunes. O humorista estrela a série documental “Whindersson – Próxima Parada”. A estreia será no dia 3 de outubro.

O “boom” de conteúdos originais

As plataformas de streaming de vídeo estão apostando no conteúdo original para se diferenciar de seus concorrentes. Começou com a Netflix, que emplacou grandes sucessos, como Stranger Things, mas a iniciativa está sendo replicada. A Globo Play, HBO (com Game of Thrones, por exemplo), Amazon Prime Video investem na mesma estratégia e, em breve, a Apple TV+ e Disney+ estão entrando na jogada.

No caso, o YouTube se diferencia desses serviços por não necessitar de uma assinatura para ter acesso ao conteúdo e de uma base de milhões de “clientes” que já possui ao redor do mundo.