WhatsApp é hackeado e softwares espiões são instalados em celulares

Tainá Freitas

Por Tainá Freitas

14 de Maio de 2019 às 12:12 - Atualizado há 2 anos

Logo Novo Curso

Transmissão exclusiva: Dia 08 de Março, às 21h

Descubra os elementos secretos que empresas de sucesso estão usando para se libertar do antigo modelo de Gestão Feudal de Negócios.

Inscreva-se agora
Logo Cyber Monday 2020

Só hoje, nossos melhores Cursos Executivos ou Programas Internacionais com até 50% off

Quero saber mais

Uma vulnerabilidade no sistema do WhatsApp permitiu que o aplicativo fosse hackeado e que fossem instalados softwares espiões (spywares) no celular dos usuários. A empresa ainda está investigando quantos dos 1,5 bilhão de usuários foram afetados. Ela também está requisitando que todos atualizem o aplicativo para a última versão, que traz correção das falhas de segurança.

O aplicativo adquirido pelo Facebook descobriu o ataque hacker no início deste mês. Usuários de iPhones e Android foram afetados. A invasão acontecia através da função de ligação, independente se os usuários atendessem ou não.

Segundo o Financial Times, os softwares instalados são semelhantes aos da empresa israelense NSO Group, o que a torna uma das principais suspeitas no caso. Um de seus produtos é o Pegasus, programa que pode ligar as câmeras e microfones dos aparelhos e coletar dados de mensagens. A empresa negou as acusações.

“O WhatsApp encoraja as pessoas a atualizarem o nosso aplicativo para a última versão, além de manter os sistemas operacionais dos smartphones atualizado, para protegê-los de potenciais ataques designados para comprometer as informações arquivadas nos celulares. Nós estamos trabalhando constantemente ao lado de parceiros da indústria para prover as últimas melhorias de segurança para ajudar a proteger nossos usuários”, disse o WhatsApp em um anúncio sobre o caso.